Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4370 | 13 de Julho de 2018

PARANÁ.COOP+10: Programa de Educação Política quer sensibilizar as pessoas para o voto consciente

Preparar os agentes das cooperativas a construir e administrar redes sociais com foco na educação política, visando sensibilizar as pessoas para o voto consciente e responsável nas próximas eleições. É com esse propósito que o Sistema Ocepar promove, nos dias 17 e 18 de julho, em Curitiba, a primeira capacitação do Programa de Educação Política parana.coop+10, lançado pela entidade em junho, em Carambeí, na região paranaense dos Campos Gerais.

Programação – No primeiro dia, o presidente do Sistema Ocepar, José Roberto Ricken, fará a apresentação do Programa, juntamente com a gerente de Relações Institucionais da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), Fabíola Nader. Na sequência, o reitor da Universidade Positivo, José Pio Martins, ministra palestra sobre o cenário econômico e político nacional. O professor e diretor do Instituto Datacenso, Cláudio Shimoyama, falará sobre marketing político e pesquisa eleitoral, seguido do especialista em Neuromarketing, Marcelo Peruzzo, que abordará o tema neuromarketing digital. No segundo dia, Fabíola Nader tratará das mudanças ocorridas na legislação eleitoral. O presidente da Frente Parlamentar do Cooperativismo (Frencoop), deputado Osmar Serraglio, vai discorrer sobre a importância da representação política e o professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR), Tomas Sparano, sobre a estruturação e coordenação de redes sociais.

Inscrições – As inscrições ao evento devem ser efetuadas com Neuza Oliveira ( neuza.oliveira@sistemaocepar.coop.br / 41 3200 1105).

parana coop folder 13 07 2018

FORMAÇÃO: Sescoop/PR capacita facilitadores da Cocamar

Dezesseis profissionais que atuam como facilitadores na Cooperativa Cocamar participaram, nesta quinta-feira (12/07), em Maringá, no Noroeste do Paraná, de uma capacitação realizada pelo Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop/PR) e conduzida pelo coordenador de Desenvolvimento Cooperativo, Alfredo Benedito Kugeratski Souza, e pelo analista de Desenvolvimento Humano, Fernando Mendes. Na oportunidade, os participantes conheceram as ações realizadas pelo Sistema Ocepar e os procedimentos que devem ser seguidos nas demandas de treinamento da cooperativa.

Esclarecimento - “Apresentamos a nossa forma de trabalho e como atuamos com as cooperativas do Paraná. Foi muito importante esclarecer todas as dúvidas e desmistificar alguns conceitos. Na realidade, somos parceiros nesse esforço de promover o desenvolvimento de colaboradores e cooperados, e temos que agir de forma muito transparente e responsável”, afirma Fernando Mendes. “Agora, os facilitadores da Cocamar conhecem todos os procedimentos, os prazos que devem ser respeitados, o nosso papel, a função dos agentes, a razão de fazer os procedimentos da forma correta, com atenção e ética. Estamos construindo uma nova gestão, mais próxima e atuante com as cooperativas”, acrescentou.

Avaliação positiva - “Essa foi uma ação diferenciada da Cocamar e consideramos muito significativo contar com a presença dos profissionais do Sescoop/PR nesse treinamento, mostrando que as exigências em relação aos procedimentos adotados na realização dos eventos de formação não são estabelecidos pela cooperativa, mas seguem as diretrizes do Sescoop/PR e é muito diferente quando os representantes da própria entidade repassam essas informações”, avaliou Juliana Prado Romagnoli que, juntamente com Regiane Melão da Silva, ambas analistas de Gestão de Pessoas da Cocamar, atua como agente de Desenvolvimento Humano, fazendo a integração entre a cooperativa e o Sescoop/PR.

Demandas - De acordo com ela, os facilitares que receberam a capacitação auxiliam na execução dos projetos de formação profissional da cooperativa, cujas demandas são oriundas dos seguintes programas: Qualidade Cocamar, Desenvolvimento de Líderes, Desenvolvimento de Jovens, Desenvolvimento de Cooperativismo, Segurança e Saúde no Trabalho, Treinamento Vivencial Cocamar, Qualidade e Inovação Cocamar e Lean Seis Sigma.

Norte e Noroeste - Segundo Fernando Mendes, nas regiões Norte e Noroeste do Paraná, o Sescoop/PR coordena o trabalho de 20 cooperativas, com 65 agentes. “Eles estão em constante capacitação e evolução e procuramos sempre estar atentos às suas necessidades e demandas, para a melhoria contínua do processo. O resultado disso é a correta aplicação do recurso, segurança nos projetos, gestão da região, melhor comunicação e transparência de forma conjunta”, concluiu.

{vsig}2018/noticias/07/13/formacao/{/vsig}

 

 

RECEITA ESTADUAL: Publicada Norma de Procedimento Fiscal que dispensa impressão de DAMDFE

A Receita Estadual do Paraná publicou, no Diário Oficial do Estado do dia 9 de julho, a Norma de Procedimento Fiscal nº 49/2018, que dispensa a impressão do DAMDFE (Documento Auxiliar do Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais) nas operações internas, no transporte de carga realizado no modal rodoviário, devendo ser disponibilizado em meio eletrônico, quando solicitado pela fiscalização. Desta forma, o documento poderá ser apresentado por meio de celular, tablet, entre outros, para acompanhar o transporte nos casos em que é exigida a sua emissão, quando da fiscalização em trânsito.

Pleito - “Essa alteração atende a um pleito do Sistema Ocepar, conforme reinvindicação das cooperativas agropecuárias e do ramo transporte”, esclarece o analista de Desenvolvimento Técnico da área tributária, Rogério Croscato.

Clique aqui para conferia na íntegra a Norma de Procedimento Fiscal nº 49/2018

 

DIA C I: Unimed Cascavel promove campanha e ações sociais

 

dia c I13 07 2018“Atitudes simples movem o mundo.” É com esse tema que o Dia de Cooperar da Unimed Cascavel (Dia C) quer relembrar neste ano os valores e os princípios cooperativistas, além de compartilhar a solidariedade e colaborar com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), instituídos pela Organização das Nações Unidas (ONU) para promover a transformação social no mundo.  

 

Lançamento - A cooperativa de saúde lançou a edição 2018 do Dia C ainda em maio, com a Gincana IntegrAÇÃO. A ação entre os colaboradores usa formas lúdicas de competição para ajudar pessoas. O primeiro desafio foi arrecadar roupas, cobertores e calçados. Duas remessas, que somaram 6.353 peças, já foram doadas para famílias que integram a Cooperativa de Trabalhadores Catadores de Material Reciclável (Cootacar), além de moradores do Albergue Noturno e do Recanto da Criança. Já no dia 30 de junho, integrantes da Cootacar receberam um café da manhã e participaram de uma palestra sobre cooperativismo, oferecida em parceria com o Sicoob-Credicapital.

 

Dia do Cooperativismo - O Dia C é celebrado juntamente como o Dia Internacional do Cooperativismo, no primeiro sábado de julho, mas a proposta da Unimed Cascavel é de tornar a atividade como algo contínuo, durante o ano inteiro, até porque a intercooperação e o comprometimento sustentável são valores permanentes da cooperativa. 

 

Envolvimento - A coordenadora de Sustentabilidade da Unimed Cascavel, Tatiane Trespach, destaca que o envolvimento de todos os públicos (colaboradores, cooperados, clientes, comunidade e outras cooperativas) é essencial para o sucesso das ações. “Queremos desenvolver o aprendizado e momentos de interação entre comunidade e colaboradores, além de, principalmente, estimular a participação de todos na comunidade para fortalecimento e transformação”, finaliza. (Imprensa Unimed Cascavel)

 

DIA C II: Sicoob Integrado participa da Feijoada do Bem em Pato Branco

 

Como parte das ações do Dia C, no último dia 8, as cooperativas Sicoob Integrado, Coopertradição, Sicredi, Unimed, Evolua e Uniprime se uniram para promover a “Feijoada do Bem”, em Pato Branco (PR).

 

Presença - O evento teve apoio da comunidade local e contou com a presença de cerca de 400 pessoas, entre colaboradores das cooperativas a familiares. Ao todo, foram arrecadados mais de R$ 4 mil reais com a venda dos ingressos e realização do bingo, valor que foi doado para o Remanso da Pedreira, entidade que atende crianças entre 2 e 12 anos, em situação de vulnerabilidade social. Além da venda dos ingressos, também foram arrecadados mais de 500 litros de leite em prol da Casa de Apoio Gama, que acolhe pacientes e seus acompanhantes durante o tratamento contra o câncer.

 

Compromisso - Segundo o presidente do Conselho de Administração do Sicoob Integrado, Alcir Luiz Freisleben, esse tipo de ação reforça o compromisso da cooperativa com a comunidade. “Ajudar duas entidades é algo muito importante para nós e está de acordo com os nossos princípios. Ficamos muito satisfeitos pela quantidade de pessoas presentes, com a certeza de que a iniciativa se estenderá”, diz. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

{vsig}2018/noticias/07/13/dia_c_II/{/vsig}

SICREDI: Comitiva é reforçada para Conferência Woccu 2018

 

sicredi 13 07 2018A edição 2018 da Conferência Mundial do Woccu (Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito, no significado da sigla em português) terá, mais uma vez, intensa participação do Sicredi. Este ano, a comitiva terá a presença de 113 pessoas, entre dirigentes, executivos e colaboradores, que representará a instituição financeira cooperativa, de 15 a 18 de julho, em Singapura.  

 

Participações - Em Singapura, entre os participantes, a comitiva do Sicredi terá o presidente da SicrediPar e da Central Sicredi PR/SP/RJ, Manfred Alfonso Dasenbrock que, em 2016, foi reeleito conselheiro do Woccu até 2018. Também estará presente o presidente-executivo do Banco Cooperativo Sicredi, João Tavares.

 

Painel - Na programação do dia 18/07, Manfred Dasenbrock será um dos participantes de um painel sobre “Diversidade”. “A cada edição, o Sicredi tem ampliado sua atuação na Conferência Mundial do Woccu. Isso reflete a importância do evento internacional para nossa instituição, além do compromisso do Sicredi em fazer a diferença nos momentos decisivos do cooperativismo de crédito”, afirma Dasenbrock.

 

O evento - Promovida pelo Conselho Mundial das Cooperativas de Crédito (Woccu, em sua sigla em inglês), a Conferência Mundial do Woccu ocorre anualmente e tem como foco a abordagem global sobre como melhorar a vida por meio das cooperativas de crédito. A Conferência é o principal evento mundial do segmento. 

 

Associação - O Woccu (World Council of Credit Unions) é a associação comercial e agência de desenvolvimento para as cooperativas de crédito em todo o mundo. A entidade oferece programas para fomentar o cooperativismo de crédito entre os parceiros, como o desenvolvimento de redes integradas de negócios, apoio às comunidades em risco, além de promover a reforma legislativa e o desenvolvimento do sistema regulatório. Além disso, o Woccu também atua para promover o desenvolvimento sustentável das cooperativas de crédito por meio de programas de assistência técnica a fim de fortalecer o seu desempenho financeiro e alcance em âmbito mundial.

 

WYCUP - Durante a conferência, nove colaboradores do Sicredi participarão do World Council Young Credit Union People (WYCUP). Sete deles concorrendo no concurso que premia cinco iniciativas com uma viagem para participação na próxima edição da Conferência Mundial das Cooperativas de Crédito, com todas as despesas pagas. O critério é avaliar os projetos que proporcionam contribuições significativas às suas comunidades e cooperativas de crédito, com potencial de causar um impacto global. Os representantes do Sicredi inscreveram projetos que evidenciam ações focadas na sustentabilidade, inclusão, liderança e educação financeira. Além deles, participarão os dois colaboradores do Sicredi premiados na edição de 2017.

 

Future Forum - Composto por integrantes das maiores cooperativas de crédito do mundo, o encontro tem como objetivo destacar as tendências do cooperativismo de crédito. Organizados em grupos, os dirigentes escolherão temas para debaterem e, ao final, compartilharão suas conclusões. Entre os representantes do Sicredi, estão: Arnaldo Martim Zalewski, presidente da Cooperativa Sicredi Planalto Gaúcho RS/SC; Luiz Hoflinger, presidente da Cooperativa Sicredi Vanguarda PR/SP/RJ; Márcio Port, vice-presidente da Central Sicredi Sul/Sudeste; Sadi Bento Rigotti, presidente da Cooperativa Sicredi Ibiraiaras RS e Wellington Ferreira, presidente da Cooperativa Sicredi União PR/SP.  

 

Apoio - As inscrições da delegação do Sicredi na Conferência Mundial do Woccu contaram com o apoio do Sescoop.

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão valoriza a participação dos 3,8 milhões de associados, os quais exercem um papel de dono do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.600 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros. Mais informações estão disponíveis em www.sicredi.com.br. (Imprensa Sicredi)

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins. 

 

SICREDI CAMPOS GERAIS: Cooperativa atinge marca de 60 mil associados

sicredi campos gerais 13 07 2018Prestes a completar 30 anos de atuação, a cooperativa Sicredi Campos Gerais PR/SP atingiu o expressivo número de 60 mil associados nos 14 municípios da área de atuação. A carteira está distribuída entre pessoa física urbano (72%), pessoa física agro (12%), e pessoa jurídica (16%).

Destaque - Segundo o diretor executivo da Sicredi Campos Gerais, Márcio Zwierewicz, o crescimento do número de associados nos últimos 15 meses merece destaque. “Quando inauguramos a Sede Regional, em 31 de março de 2017, comemoramos a marca de 50 mil associados na cooperativa. No início deste mês, atingimos o número de 60 mil, uma média de mais de 600 novos associados por mês”, comemora.

Consolidação - Segundo Zwierewicz, o cooperativismo de crédito está consolidado no mercado financeiro e os associados se identificam com o modelo de negócio do Sicredi. “Ao atingir este resultado, a Cooperativa demonstra o planejamento e o profissionalismo na gestão. Investimos em novas agências e aumentamos o time de colaboradores para oferecer um atendimento mais próximo e amigável, e a população da região tem reconhecido estes diferenciais do Sicredi”, disse.

Única instituição - Em alguns municípios, como Ventania, a Sicredi Campos Gerais PR/SP é a única instituição financeira presente, e, em outros, foi pioneira, ou seja, a primeira a se instalar. “Em breve vamos abrir uma nova agência em Ponta Grossa, no bairro Uvaranas, e nestes mesmos 15 meses inauguramos ou ampliamos outras oito agências”, revela o diretor. Segundo ele, ainda este ano a cooperativa deve abrir mais duas agências em Curitiba, totalizando seis pontos de atendimento na capital.

Conta Digital - De acordo com o diretor, outro fator que está contribuindo para o crescimento no número de associados é o lançamento da conta digital Woop Sicredi. Lançado em maio deste ano, foi desenvolvido para oferecer uma solução financeira cooperativa no ambiente 100% digital, focada em um público conectado e jovem de espírito, que procura resolver suas necessidades financeiras virtualmente, ao mesmo tempo em que colabora para o desenvolvimento da sua comunidade. A solução faz parte da transformação digital do Sicredi.

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão valoriza a participação dos 3,7 milhões de associados, os quais exercem um papel de dono do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com 1.500 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros. Mais informações estão disponíveis em www.sicredi.com.br. (Imprensa Sicredi)

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

SICREDI UNIÃO: Gibis de educação financeira são entregues na Apae de Maringá

 

sicredi uniao 13 07 2018Nesta quinta-feira (12/07), às 10 horas, a Sicredi União PR/SP fez a entrega do gibi “Turma da Mônica – De onde vem o dinheiro” para 22 colaboradores da instituição financeira cooperativa que atuam na Apae de Maringá. Na ocasião, a dupla de palhaços Adalberto Pé de Chinelo e Cajuino Castanho também apresentaram peça teatral baseada na história do gibi. A ação faz parte do trabalho conjunto das áreas de Desenvolvimento do Cooperativismo e Gestão de Pessoas, que objetiva alcançar todos os colaboradores.

 

Educação financeira - Abordar o tema com o público interno tem sido fundamental para fortalecer o projeto social da Sicredi União, que leva educação financeira a comunidade por meio da série de gibis da “Turma da Mônica”, fruto da parceria com a Maurício de Sousa Produções. “Nosso lema é fazer juntos para fazer a diferença e, dessa forma, os colaboradores adquirem conhecimento e compartilham com familiares e amigos, levando a educação financeira adiante”, afirma o gerente da agência Maringá Centro, Márcio José Roco. (Imprensa Sicredi União PR/SP)

 

SICREDI FRONTEIRAS: Participação na Festa do Vinho e do Queijo é avaliada positivamente

 

A 24ª Festa do Vinho e do Queijo de Salgado Filho, no Sudoeste do Paraná, aconteceu nos dias 6 e 8 de julho, com exposições, shows e atrativos para toda a família. Com uma programação variada, o município de Salgado Filho mostrou suas potencialidades gastronômicas, culturais e econômicas.

 

Estande - O Sicredi participou da Festa do Vinho e do Queijo com seu tradicional estande, no qual recebeu visitantes, apresentou seus mais de 300 produtos e serviços financeiros, descontraindo com novidades como óculos de realidade virtual e servindo o delicioso cafezinho do Sicredi.

 

Agradecimento -  "Agradecemos a todos os visitantes, que se fizeram presentes em mais esta edição da Festa do Vinho e do Queijo. Reiteramos a nossa imensa alegria em receber cada um que veio nos prestigiar", comentou o prefeito Helton Pfeiffer.

 

Atividades - Como um dos parceiros da Festa do Vinho e do Queijo, o Sicredi participou de diversas atividades, em especial, voltados em atender as demandas da comunidade e seus associados. Segundo Tiago Shaurich, gerente da agência da Cooperativa Sicredi Fronteiras PR/SC/SP, em Salgado Filho, as expectativas foram superadas, e a cada ano que passa mais pessoas visitam a Festa. 

 

Parceria - "O Sicredi é um dos principais parceiros que empresários, agricultores e prestadores de serviços encontram para crescer. Além do nosso tradicional cafezinho, o visitante encontrou em nosso stand um bom chimarrão, bate papo agradável, os nossos óculos de realidade virtual que fizeram a alegria de crianças e adultos, além de informações sobre nossos serviços financeiros, como linha de financiamentos para compra de veículos, de imóveis, maquinários, atrativas taxas de juros, entre outros”, explicou Tiago.

 

Poupança Premiada - A equipe também convidou os visitantes a aderir à campanha Poupança Premiada, que busca incentivar as pessoas guardar suas reservas no Sicredi, concorrendo prêmios semanais, mensais e um grande prêmio no final do ano de R$ 500 mil.

 

Visitas - Durante os três dias da Festa do Vinho e do Queijo, o Diretor de Negócios da Cooperativa Sicredi Fronteiras PR/SC/SP, José Carlos Steffen, acompanhado de equipe Sicredi, visitou os expositores e conversou com visitantes, a imprensa e os associados.“Agradecemos a todos os visitantes da Festa do Vinho e do Queijo que visitaram o estande do Sicredi, conheceram nossos serviços ou apenas tomaram um cafezinho conosco. O Sicredi está de portas abertas para receber a todos”, finalizou José Carlos Steffen. 

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão valoriza a participação dos 3,7 milhões de associados, os quais exercem um papel de dono do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com mais de 1.500 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros. Mais informações estão disponíveis em www.sicredi.com.br. (Imprensa Sicredi Fronteiras PR/SP)

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

{vsig}2018/noticias/07/13/sicredi_fronteiras/{/vsig}

SICOOB NORTE DO PR: Produtos e serviços são divulgados na 22ª Fescafé em Ribeirão Claro

 

sicoob norte parana 13 07 2018O Sicoob Norte do PR participou da 22ª Fescafé - Expo Feira do Café, Indústria, Comércio e Pecuária de Ribeirão Claro (PR), entre os dias 5 e 8 de julho. O evento, que tem entrada franca, recebeu cerca de 150 mil pessoas ao longo dos quatro dias de programação.

 

Vantagens - Durante a festa, os visitantes puderam saber mais sobre as vantagens de ser um cooperado Sicoob, além de conhecer os produtos e serviços ofertados pela cooperativa. Quem passou pelo estande do Sicoob também pode conhecer a agência móvel, que funciona dentro de uma van adaptada.

 

Sucesso - Segundo a gerente de Negócios do PA de Ribeirão Claro, Mirian Bonatti Cortes Martelini, o evento foi um sucesso. “Tivemos uma participação muito melhor do que ano passado e esperamos aumentar ainda mais nossa carteira de crédito”, diz. (Imprensa Sicoob Unicoob)

 

UNIPRIME PIONEIRA DO PR: Paraná oferta curso de gestão de clínicas em Guaíra

 

Gestores de clínicas e consultórios que são cooperados da Uniprime Pioneira do Paraná participam, na cidade de Guaíra, da formação voltada para a gestão desses empreendimentos. As duas primeiras aulas do programa aconteceram nos dias 6 e 7 e as próximas duas estão agendadas para esta sexta-feira (13/07) e sábado (14/07).

 

Imersão - Os participantes imergem, na soma desses quatro dias, no universo da análise de cenários e tendências do mercado em saúde no Paraná e no Brasil, do diagnóstico e criação de estratégias em saúde, e do modelo de negócios e inovação em saúde – tudo com uma didática participativa e construtiva.  “São metodologias ativas, utilizadas nas melhores universidades o mundo, que tratam de forma efetiva a relação prática de mercado sem perder a profundidade conceitual”, destaca o presidente da Uniprime Pioneira do Paraná, Orley Campagnolo.

 

Gestão estratégica - Assim, com esse curso, a cooperativa busca proporcionar aos cooperados uma capacitação e atualização da gestão estratégica, focada nos indicadores atuais de mercado e possibilitar o acesso e a implementação das mais modernas ferramentas de gestão estratégica do mercado. “Consolidamos o nosso compromisso em promover a qualificação dos cooperados nos respectivos segmentos”, ressalta o dirigente.

 

Turmas anteriores - Assim como nas duas turmas anteriores, o curso é ministrado por profissional renomado na área, com ampla experiência em gestão de instituições de saúde.

 

Sobre a Uniprime - A Uniprime Pioneira do Paraná é uma cooperativa de crédito com 22 anos de história. Foi a pioneira em seu segmento neste Estado e desde então atua na oferta de crédito e serviços de forma mais simples e vantajosa, por meio de um atendimento personalizado, moldado às necessidades dos cooperados. Conta com nove agências distribuídas nas cidades de Toledo, Assis Chateaubriand, Marechal Cândido Rondon, Medianeira, Ubiratã, Goioerê, Palotina, Guaíra e Santa Helena. É a primeira construção ambiental sustentável de Toledo e região a buscar a certificação internacional de sustentabilidade, o selo Leed em seu mais alto grau, o Platinum para construções novas. Com isso, pode se tornar a primeira cooperativa de crédito do Brasil a obter tal conquista no país. (Imprensa Uniprime Pioneira do Paraná)

 

{vsig}2018/noticias/07/13/uniprime_pioneira_do_pr/{/vsig}

INTEGRADA: Show de Máquinas movimenta mais de R$ 3 milhões

integrada 13 07 2018Com um movimento de mais de R$ 3 milhões em negócios, a Integrada realizou, nesta quinta-feira (12/07), a primeira edição do Show de Máquinas. O evento, realizado em Londrina, reuniu centenas de produtores do Paraná e São Paulo que puderam conferir novas tecnologias em máquinas e equipamentos agrícolas com demonstração ao vivo de algumas delas.

Palestras - O evento iniciou com palestras dos representantes da Kuhn, Mepel e Khor, empresas patrocinadoras do evento, além de parceiras da Integrada. No período da tarde, pulverizadores, plantadeiras e outros equipamentos utilizados no dia a dia do agricultor foram colocados em funcionamento para que o público visualizasse as novas tecnologias disponíveis no mercado.

Ponto alto - A apresentação da nova Stronger HD da Kuhn foi um dos pontos altos durante a apresentação dos equipamentos. O pulverizador de alta tecnologia foi lançado no final do ano passado na feira de Hannover (Alemanha) e já está disponível para os cooperados da Integrada.

Leilão - No período da tarde, foi realizado um leilão de máquinas e equipamentos, onde foram arrematados mais de 30 itens entre máquinas e implementos agrícolas. André Rabelo, gerente da loja de máquinas da Integrada, explica que o objetivo do evento era fazer algo diferente do que é realizado no mercado, trazendo mais conforto para os cooperados. Rabelo destaca que o foco do evento era trazer palestras focadas em tecnologia, alinhadas com o setor de agricultura de precisão para conciliar informação técnica com a alta tecnologia. “O evento superou as minhas expectativas”, observa o gerente da loja de máquinas da Integrada.

Modelo - Seisuke Ito, superintendente da área técnica da cooperativa, explica que o modelo do Show de Máquinas é um dos únicos já efetuados no Brasil. “Estamos realizando uma grande inovação na maneira de ofertar os nossos produtos, principalmente nesse momento difícil da economia brasileira”, avalia. Ito salienta que a Integrada procurou ofertar toda a linha de máquinas e equipamentos que o produtor precisa para fazer um bom plantio e pulverização, oferecendo o que há de melhor para o associado.

Agricultura de precisão - O superintendente enfatizou que hoje se fala muito sobre agricultura de precisão e a tecnologia embarcada nas máquinas é um dos itens fundamentais para o sucesso dela. Agricultura de precisão é um conjunto de ações que também demanda o uso de tecnologia de ponta em busca de uma melhor rentabilidade. “Temos que tirar o melhor proveito das tecnologias embarcadas nas máquinas”.

Tecnologia - Matias Knnor, produtor no município de São Martinho (PR), explica que a agricultura moderna exige o uso de tecnologia e a Integrada não pode ficar fora disso. Segundo ele, a cooperativa precisa levar conhecimento para os seus associados para a evolução da cultura e do produtor. “Esses eventos são importantes para divulgar as tecnologias e oferecerem oportunidades de negócios”, salienta o cooperado. (Imprensa Integrada)

 

COCAMAR: História da segunda safra de milho tem tudo a ver com a região

 

cocamar 13 07 2018A realização pela Cocamar do seu Dia de Campo de Inverno, nesta sexta-feira (13/07), em Floresta, município próximo a Maringá (PR), está voltado a divulgação de modernas tecnologias, com foco em uma cultura cuja história na economia do país está diretamente ligada ao lugar.

 

Pioneirismo - Foi há pouco mais de 30 anos que produtores de Floresta começaram, de forma pioneira no Brasil, a cultivar milho na entressafra da soja, como alternativa ao trigo, que oferecia pouco retorno. Uma aposta arriscada para a época, uma vez que o cereal era e continua sendo vulnerável ao inverno mais rigoroso. No entanto, apesar das baixas temperaturas no período, o milho firmou-se como opção de renda para os produtores, consolidando a segunda safra no mesmo ano agrícola. A saída que eles encontraram para viabilizar o cultivo foi semear mais cedo, de maneira a finalizar o ciclo da planta antes da chegada do frio mais intenso. 

 

Uma revolução - A afirmação do milho na chamada safrinha – que de safrinha, atualmente, não tem mais nada, pois a lavoura se expandiu e ficou maior que a do milho verão - é tão importante para o país que o ex-ministro da Agricultura, Alysson Paolinelli, considera a segunda safra como uma das revoluções do moderno agronegócio brasileiro.

 

Admiração - Segundo Paolinelli, que visitou a Cocamar em 2017, os produtores norte-americanos ficam admirados ao ver seus colegas brasileiros colhendo a soja e, ato contínuo, semeando o milho de inverno no mesmo lugar. Nos EUA e outros países, não há segunda safra dentro do mesmo ano agrícola. 

 

Relevância - Por muitas décadas o milho foi a cultura mais cultivada no Brasil, perdendo seu reinado nos anos 1970 para a soja. No entanto, ela nunca deixou de ser relevante para o agronegócio. Na região de Maringá, é um dos produtos que alimenta as granjas avícolas e, no Estado, engorda a receita de exportação – cujos volumes são crescentes. 

 

Referência - Portanto, além de evento exponencial para a transferência de tecnologias aos produtores, o Dia de Campo da Cocamar em Floresta é também uma referência à importância histórica do município que ensinou o Brasil a produzir milho no inverno. (Imprensa Cocamar)

 

DIA DE CAMPO DE INVERNO

Local: Unidade de Difusão de Tecnologias (UDT) da Cocamar em Floresta, às margens da PR-317 

Horário: das 8 às 17h

Os produtores participantes devem deixar na entrada um litro de leite longa vida, para doação a entidades assistenciais

 

COPAGRIL: Parceria entre a cooperativa e CIEE já ofereceu estágio a mais de 530 estudantes

copagril 13 07 2018A Copagril recebeu, na manhã desta quinta-feira (12/07), visita de cortesia de Eneas Filho, gerente regional do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), de Cascavel, e do coordenador local da instituição, Jaílson Gonsalves, que estiveram na sede da cooperativa, em Marechal Cândido Rondon, onde foram recebidos pelo gerente administrativo, Jaime Vilani, o encarregado de Recursos Humanos, Nilvo Kühler e pelo responsável pela Gestão de Pessoas, Lucas de Lima.

 

Parceria reforçada - Na ocasião, as lideranças reforçaram os votos da parceria entre a empresa e a instituição, que já tem duração de 21 anos. A partir dessa parceria, a Copagril já ofereceu oportunidade de estágio para mais de 530 estudantes, por meio do trabalho de intermediação prestado pelo CIEE.

 

Lei - A vinculação entre a cooperativa e os estudantes é estabelecida a partir da Lei de Estágio e abrange estudantes de nível médio, técnico e superior, oferecendo a oportunidade de confrontarem os conteúdos teóricos com as atividades práticas, enriquecendo o seu aprendizado, além de integrar o jovem ao mercado de trabalho e favorecer o exercício da sua cidadania.

 

Reciclagem - Ao mesmo tempo, as instituições de ensino podem reciclar seus currículos a partir das experiências vivenciadas por seus alunos e as empresas, que renovam seus quadros de profissionais e que contribuem para a descoberta e a formação de novos talentos, enquanto o país ganha com a melhoria da capacidade de sua força de trabalho.

 

Garantias - Os estudantes estagiários têm todas as garantias da legislação vigente sobre saúde, segurança do trabalho e de seguro de acidentes pessoais, além da fixação de uma jornada máxima de atividade de acordo com o nível ou modalidade de educação e ensino.

 

Efetivados - Diversos estudantes já foram efetivados pela Copagril após o desenvolvimento de estágio, fazendo com que passassem a ocupar o quadro funcional da cooperativa e oportunizando o início de suas carreiras profissionais. Sendo assim, a partir da oferta de estágio aos estudantes, a Copagril desempenha um importante papel social. (Imprensa Copagril)

 

UNIMED LONDRINA: Palestra sobre fake news será realizada na segunda-feira

 

unimed londrina 13 07 2018A Unimed Londrina realiza na segunda-feira (16/07), às 14h, a palestra “Fake News: como notícias falsas podem interferir na sua vida”. O encontro será no Centro de Convivência do Idoso da Região Leste (CCI Leste) e é aberto à comunidade. O endereço é Rua Gabriel Matokanovic, 260.

 

Crucial - O assistente de Comunicação da Unimed Londrina, Bruno Petri, é quem ministrará a palestra. Para ele, discutir este assunto com a terceira idade é crucial, já que eles passaram a utilizar frequentemente as redes sociais. “A comunicação entre os idosos e seus familiares fortaleceu por meio de aplicativo de mensagens. E é nesta ferramenta que eles podem compartilhar, sem saber, conteúdos falsos”, justifica Petri.

 

Construção - O palestrante vai explicar como são construídas as notícias falsas, como identificá-las e quais as implicações ao compartilhá-las. “A terceira idade está bem ativa na internet, e discutir este assunto, ainda mais em ano eleitoral, é necessário para que boatos não sejam difundidos”, comenta o assistente.

 

Parceria - A palestra tem parceria com a Secretaria Municipal do Idoso e integra o projeto Unimed Solidária. A iniciativa oferece palestras e consultas gratuitas à comunidade, com a contribuição voluntária de funcionários e médicos cooperados da Unimed Londrina.

 

Outro tema - Na próxima quinta-feira, dia 19, às 14h, o CCI Oeste apresenta a palestra “Autonomia e Independência”, com a psicóloga da operadora de plano de saúde, Stefania Brentegani. (Imprensa Unimed Londrina)

 

UFPR: Especialistas analisam conjuntura econômica do Paraná

 

ufpr 13 07 2018Especialistas em diversas áreas da economia reuniram-se, no dia 29 de junho, em Curitiba, para o encontro semestral do Grupo de Conjuntura Econômica do Paraná, que congrega representantes de organizações da economia no Estado, incluindo Dieese, Faep, Fecomércio, Fiep, Ocepar, Secretaria de Agricultura, UFPR e o Banco Central, este último como observador. O objetivo é a troca de informações e discussões sobre a economia paranaense. Trata-se de um alinhamento dos entendimentos que cada um dos participantes utiliza em sua atividade institucional. As discussões são estritamente técnicas.

 

Caminhoneiros - Na reunião do dia 29 de junho, boa parte das explanações foi dedicada às repercussões da recente greve dos caminhoneiros.  A análise é de que o impacto maior ainda será sentido, na economia em geral e no agronegócio, em específico, em função dos atrasos e aumentos nos valores dos fretes.  Para se ter uma ideia, o frete responde por 67% do custo de exportação da soja, desde a saída da região produtora até chegar ao porto, o que significa que qualquer alteração dos valores praticados impacta diretamente no valor pago ao produtor rural, comprometendo sua renda e sua capacidade de investimento na atividade. Da mesma forma, o aumento do frete tem um efeito dominó sobre várias atividades econômicas.

 

Macroeconomia - No bloco de Macroeconomia, foram abordados Economia Internacional, com o professor Fábio Scatolin, da UFPR; Macroeconomia Brasileira, com o professor Eugênio Stefanelo, da UFPR, Conjuntura Econômica Paranaense, com Guilherme Amorim, do Ipardes, e Indicadores de Emprego no Brasil e no Paraná, com Sandro Silva, do Dieese. Também esteve presente Tirso Meireles, Neto, do Banco Central.  A segunda parte da reunião foi dedicada ao Paraná. Agricultura e agronegócio foram tema de Jefaey Kleine Albers, da Faep, a situação das indústrias paranaenses foi abordada por Roberto Zurcher, da Fiep, e o comércio foi abordado por Rodrigo Rosalem, da Fecomércio.

 

Estimativas - Segundo as explanações, as avaliações de conjuntura e tendências econômicas elaboradas até o 1.º trimestre de 2018 apresentavam expectativa de crescimento do PIB do Brasil em torno de 2,9% a 3,0%. Para o comércio, a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná – Fecomércio – estimava um crescimento entre 3,5% e 5,0% para as vendas de 2018 em comparação à 2017, tendo em vista a relativa estabilidade de fatores macroeconômicos como inflação, taxa de juros e câmbio. 

 

Redução - Todavia, alguns fatos recentes – internos e externos – estão alterando este cenário, e já fazem os analistas reduzirem suas previsões de crescimento do PIB para algo em torno de 1,5%. Internamente pode-se destacar novamente a greve dos caminhoneiros que, além dos seus efeitos no faturamento de todos os setores da economia, geraram aumento dos custos logísticos, em especial pela implantação da tabela de valores mínimos do frete, assunto ainda em debate pelo governo. Fatores externos diversos – como o aumento da taxa de juros americana, as sobretaxas à importação de produtos siderúrgicos e a possibilidade de uma “guerra fiscal” entre EUA e China – fizeram todas as moedas se desvalorizarem frente ao dólar, aumentando o custo das importações de insumos pelo Brasil, o que poderá trazer um aumento da inflação. Alguns efeitos desse cenário não serão imediatos, mas poderão trazer dificuldades para a economia brasileira. Importantíssimo, todavia, apontou o Rodrigo Rosalem, da Fecomércio, é que o país mantenha o controle da inflação, a estabilização dos juros SELIC, e a perspectiva positiva de crescimento do PIB neste ano acima do verificado em 2017.

 

Vendas industriais - Já as vendas industriais deste abril tiveram comportamento positivo, consignando aumento de 1,11%; terceiro aumento consecutivo, segundo a Fiep. Este desempenho colocou as vendas industriais acumuladas em janeiro a abril 7,82% acima das de janeiro a abril de 2017. Desde 2013 não se verificava aumento nos primeiros quatro meses do ano.

 

Desocupação - A taxa de desocupação no Paraná é de 9,6% da população ativa, enquanto no Brasil é de 13,1% (dados do primeiro trimestre de 2018 – Fonte IBGE/Dieese). Um número bastante alto. Segundo a análise apresentada por Sandro Silva, do Dieese, dificilmente ocorrerá uma recuperação significativa do mercado de trabalho no curto e médio prazo. “Em um cenário normal, já não seria fácil. Com os possíveis impactos negativos da Reforma Trabalhista, tais como legislação e sindicatos, será ainda mais difícil”, explicou ele. Além disso, o especialista alertou que se não houver uma revisão das metodologias das pesquisas, haverá distorções nos resultados, por exemplo, com inclusão do trabalho intermitente.

 

Tendências e consequências - Após as explanações, os membros do grupo de estudos discutiram as tendências e consequências das análises apresentadas. Nos próximos dias, serão elaborados relatos das discussões. Cada participante é responsável por escrever de forma resumida a área pela qual é responsável. O documento final é então distribuído para os participantes, para que tenham em mãos o que de principal foi tratado na reunião. O Grupo de Conjuntura Econômica deve se reunir novamente no segundo semestre, em data a ser agendada.

 

Sobre o Grupo de Conjuntura Econômica do PR - O grupo iniciou os encontros em junho de 2015. “Os especialistas das instituições sempre se encontravam em diversos fóruns de discussão sobre o Paraná, mas percebemos que não havia um grupo especializado na Economia Paranaense. Foi aí que decidimos a começar a nos reunir”, conta o professor Gilson Martins, do Departamento de Economia Rural e Extensão da UFPR. Assim, o grupo surgiu de maneira muito espontânea pelas organizações que dele participam. (Assessoria de Imprensa da UFPR)

 

SEMENTES E MUDAS: Londrina vai sediar Reunião Técnica da CSM Paraná

 

sementes mudas 13 07 2018A Comissão de Sementes e Mudas do Estado do Paraná (CSM) irá realizar encontro técnico nos dias 07 e 08 de agosto em Londrina, Norte do Paraná. A reunião contará com a presença de responsáveis técnicos e profissionais de empresas que atuam no segmento de sementes, além de auditores fiscais federais do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), além de renomados cientistas. A programação contempla palestras técnicas, discussões, intercâmbio de ideias, debates sobre a legislação, entre outras atividades.

 

Apoio - A Apasem – Associação Paranaense de Sementes e Mudas -  é uma das apoiadoras do evento e convida os profissionais ligados ao setor de sementes do Paraná a disponibilizarem suas agendas para este momento. “Além da troca de experiências técnicas, o encontro propicia o debate com os Auditores Fiscais Federais sobre a legislação, e ao mesmo tempo orienta sob aspectos legais ligadas as atividades relacionadas às sementes”, explica o diretor executivo da Apasem, Clenio Debastiani. 

 

Fiscalização - No primeiro dia do encontro, representantes do Mapa vão discorrer sobre o tema ‘fiscalização’ focando nas orientações técnicas e Sistema Integrado de Gestão da Fiscalização (Sigef). Já no segundo dia outros temas relevantes serão abordados como: “Produção de sementes de alta qualidade no Brasil”, “Situação de OC nas sementes de soja após mudança do padrão”, “Aspectos legais na produção de sementes”, “Avanços do melhoramento genético da soja” e “Perspectivas climáticas para a produção de sementes no inverno e verão”. Neste dia também está previsto uma visita às instalações de pesquisa da Embrapa Soja. (Assessoria de imprensa do evento)

 

SERVIÇO 

Reunião Técnica da CSM Paraná 2018 

Data: 07 e 08 de agosto de 2018 na cidade de Londrina/PR.

Público: responsáveis técnicos por produção de sementes, equipes comerciais de empresas e auditores fiscais federais.

Investimento: R$ 140,00

Inscrições e informações: www.csmparana.com.br

INSCREVA-SE acessando: csmparana.com.br

 

SAFRA 2017/18: Contratação do crédito agropecuário aumentou 13% sobre safra anterior

 

safra 2017 18 13 07 2018Médios e grandes agricultores aumentaram os investimentos na agropecuária na safra 2017/2018 na comparação com o ciclo anterior de financiamento. Os recursos alcançaram R$ 32,1 bilhões para o financiamento de bens e serviços, cuja repercussão se estende a safras futuras, registrando alta de 31% em relação à safra 2016/2017. O valor disponível era de R$ 38,1 bilhões. 

 

Empresarial - A agropecuária empresarial teve disponibilizada, para safra 2017/2018, crédito oficial de R$ 188,4 bilhões, sendo que foram contratados, por produtores e cooperativas, cerca de 80% do total ou R$ 149 bilhões. O montante representa acréscimo de 13% em relação à safra anterior (2016/2017), quando foram aplicados no setor R$ 132 bilhões.

 

Investimentos - Programas de financiamento mais acessados pelos produtores rurais contribuíram para a modernização das atividades agropecuárias, por meio da expansão de investimentos voltados, principalmente, para a inovação tecnológica na propriedade rural, ampliação da capacidade de armazenagem e mitigação da emissão de gases causadores de efeito estufa.

 

Destaques - Os destaques das contratações foram em programas, como Pronamp (102% ou R$ 3,8 bilhões), Inovagro (83% ou R$ 1 bilhão), ABC (74% ou R$ 1,6 bilhão) e PCA (66% ou R$ 1 bilhão).

 

Custeio - Para o financiamento de custeio agropecuário foram emprestados R$ 80,3 bilhões. Quanto ao custeio agrícola, as culturas de soja e de milho representaram 42% e 13%, respectivamente. Na pecuária, a bovinocultura contratou 79% dos recursos de custeio, seguida pela avicultura e pela suinocultura, ambas com 8%.

 

Industrialização - Já para a industrialização, foram aplicados R$ 6,8 bilhões, concentrando 83% na região Sul. Para a comercialização, outros R$ 29,8 bilhões foram emprestados, sobretudo nas regiões Sul e Sudeste.

 

Estudo - Os números fazem parte do estudo sobre Financiamento Agropecuário da Safra 2017/2018, realizado pela Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento divulgado nesta quinta-feira (12/07). (Mapa)

 

VAREJO: Efeito da greve ainda contamina setor

 

varejo 13 07 2018As vendas do comércio em geral diminuíram em maio, por causa da greve dos caminhoneiros. Mas houve dois movimentos que vão se reproduzir em junho, com sinais trocados. Enquanto o varejo restrito recuou 0,6% ante abril, menos que o 0,8% esperado, o ampliado, que inclui veículos e materiais de construção, caiu 4,9%, mais que os 3,1% estimados. 

 

Junho - Em junho, segundo economistas, enquanto o restrito tende a piorar, afetado principalmente pela forte alta da inflação no mês - também causada pela paralisação e pela conta de luz mais cara -, o ampliado deve melhorar, com a retomada parcial das vendas de automóveis.

 

Retomada - Esses analistas apontam que indicadores coincidentes sugerem a retomada do varejo em junho, mas os dados do mês ainda serão "contaminados" pelos impactos da greve e pela Copa do Mundo. Nos dias em que houve jogos do Brasil, o movimento do comércio despencou. São fatores que dificultam previsões para o mês. No restrito, as projeções variam de estabilidade a recuo de 1,3%, enquanto no ampliado elas vão de aumento de 1,1% a 3,5%. Em comum, há a avaliação de que, passado esse período ímpar, o varejo retome um crescimento muito gradual ao longo do segundo semestre.

 

Maio - Em maio, oito dos dez segmentos acompanhados pela Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) venderam menos que em abril. O destaque negativo foi a venda de veículos, que caiu 14,6%, e o desempenho positivo ficou com hiper e supermercados, com alta de 0,6%, feito o ajuste sazonal. Enquanto o primeiro foi prejudicado pela paralisação nas estradas, que impediu a circulação de mercadorias, o segundo se beneficiou da corrida de consumidores que temiam desabastecimento de produtos essenciais. 

 

Substituição - Segundo Isabella Nunes, gerente da Coordenação de Serviços e Comércio do IBGE, os consumidores também substituíram produtos in natura, cuja oferta secou durante a greve, por alimentos industrializados, o que pode ter compensado parte da receita perdida com os in natura.

 

Dia das Mães - Para Guilherme Dietze, assessor econômico da FecomercioSP, as vendas do Dia das Mães, data mais importante para o comércio depois do Natal, e nos supermercados impediram um recuo maior do varejo restrito em maio. "Foram dois fatores cruciais para segurar o resultado do mês". Em junho, os supermercados podem devolver parte da alta, já que houve antecipação de compras, diz. Além disso, a aceleração da inflação também deve afetar o resultado do setor, afirma Yan Cattani, economista da consultoria Pezco.

 

IPCA- Sob efeito da greve dos caminhoneiros, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) saltou 1,26% em junho, de 0,40% em maio, puxado pelos preços da alimentação, que subiram 2,03%. Como na pesquisa do varejo o IBGE usa a inflação de cada segmento para chegar ao resultado de vendas, a aceleração dos preços no mês passado implicará uma perda aos supermercados, segmento que representa metade do varejo restrito.

 

Queda - Com isso, a Pezco estima queda de 1,3% para o varejo restrito no mês passado. Por outro lado, o varejo ampliado deverá crescer 3,5%, ante queda de 4,9% no mesmo período. Cattani ressalta que tais estimativas são preliminares pois ainda há poucos indicadores coincidentes do comércio em junho divulgados até agora. Após a forte queda de 14,6% em maio, ante abril, as vendas de veículos devem voltar a crescer, afirma o economista.

 

Ajuste sazonal - Caso as estimativas da Pezco para junho se realizem, o varejo restrito deve ter queda de 1,2% no segundo trimestre ante o primeiro, feito o ajuste sazonal. O ampliado deve ficar no zero a zero.

 

Outras instituições - Outras instituições estimam quedas mais moderadas no restrito. O Banco Fator estima estabilidade ante maio, feito o ajuste sazonal. O Itaú estima recuo de 0,8% no restrito e alta de 1,1% no ampliado. A MCM Consultores projeta queda de 0,2% e aumento de 2,7%, respectivamente. Todas estimativas preliminares.

 

Reflexos - Isabella Nunes, do IBGE, diz que os efeitos da paralisação dos caminhoneiros sobre o comércio podem ter se estendido ao início do mês de junho. "A greve terminou em 30 de maio, mas não se pode imaginar que logo no início de junho todo o comércio estivesse abastecido novamente". Em relatório, a MCM avaliou que parte dos efeitos negativos da greve dos caminhoneiros deverão "persistir em junho, sobretudo no varejo restrito".

 

Crescimento gradual - Cattani, da Pezco, acredita que as vendas possam voltar às taxas de crescimento pré-greve, ou seja, graduais, nos meses à frente. Ele vê o ciclo de corte de juros básicos chegando finalmente ao consumo, mas a inflação, ainda que baixa, vai pesar na renda. "Já estamos há seis meses com a Selic a 6,5%. Demorou, mas a queda dos juros está chegando à ponta", diz. "Por outro lado, deve haver uma perda real de renda, já que a inflação deste ano será maior que a de 2017."

 

Aumento - Fabio Bentes, economista da Confederação Nacional do Comércio (CNC), observa que, apesar da queda, o varejo ampliado ainda cresceu 6,3% de janeiro a maio, frente ao mesmo período de 2017, mesmo com o setor tendo perdido R$ 7,4 bilhões com a greve. Para ele, o setor dificilmente vai exibir taxas tão elevadas de crescimento no segundo semestre.

 

Lento - "A maior base de comparação da segunda metade do ano passado, associada à lenta recuperação do emprego, ao câmbio e à maior volatilidade nos níveis de confiança de consumidores e empresários decorrentes das indefinições do cenário eleitoral, deverão levar o setor a sustentar ritmo de crescimento mais lento nos próximos meses", disse. A CNC revisou para 4,8% a estimativa de crescimento para o ampliado em 2018, de 5%.

 

Continuidade - Isabela Tavares, analista da Tendências Consultoria, diz que as vendas do varejo restrito mostravam crescimento consistente antes da greve dos caminhoneiros e, agora, "os indicadores disponíveis mostram que isso deve continuar". Segundo ela, o ampliado também tende a apresentar resultado positivo em junho, mas sua recuperação ao nível anterior à greve será mais gradual.

 

Mesmo cenário - Os resultados do varejo divulgados pelo IBGE não alteraram o cenário da consultoria para o setor. Na última revisão das projeções, ocorrida no início de junho, a Tendências reduziu a previsão de crescimento do varejo restrito no ano de 3,2% para 2,5%, refletindo a greve dos caminhoneiros e o enfraquecimento da recuperação do mercado de trabalho. Já a Pezco tinha, no primeiro bimestre, estimativas de aumento de 4% no restrito e 8,2% para o ampliado, que foram reduzidas para 2,5% e 6,7%, respectivamente. O crescimento menor da atividade foi o fator principal para o ajuste. (Valor Econômico)

 

FACIAP: Federação promove diálogo com pré-candidatos ao Governo do Paraná

 

faciap 13 07 2018Com o objetivo de estimular o diálogo e fortalecer a relação entre o governo e a classe empresarial a Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Paraná (Faciap) promove no dia 27 de julho um encontro com os pré-candidatos ao Governo do Paraná. O II Fórum Gestão Pública Faciap será em Curitiba, a partir das 9 horas. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas pela internet, através do link.

 

Presenças- Com o tema “Futuro do Paraná”, o fórum contará com a presença dos pré-candidatos ao Governo do Paraná, Cida Borghetti (PP), Dr. Rosinha (PT), Osmar Dias (PDT) e Ratinho Junior (PSD). A edição deste ano irá abordar temas importantes para os empresários paranaenses, como investimentos em infraestrutura, pedágio e rodovias administradas pelo poder público, crescimento econômico, desburocratização, carga tributária, entre outros. 

 

Problemas e soluções- Além de fortalecer a relação entre o governo e a classe empresarial, o fórum também surge como ponte de debate de problemas e soluções. Para o presidente da Faciap, Marco Tadeu Barbosa, esta é uma ótima oportunidade de incentivar a participação do empresariado na construção de um estado melhor.  

 

Competitividade- “O empresariado paranaense se adianta nesta discussão porque a preocupação em criarmos as condições para um estado mais competitivo não é de agora. Queremos estar envolvidos nos debates em torno do controle de despesas da máquina pública e da criação de projetos de investimentos. E isso passa por um estreitamento no diálogo com os possíveis candidatos às próximas eleições”, afirma o presidente.

 

Espaço - A ideia é promover um espaço para que cada pré-candidato apresente suas ideias para o desenvolvimento do Estado nos próximos quatro anos. A conversa será mediada pelo presidente da Faciap, Marco Tadeu Barbosa. (Assessoria de Imprensa da Faciap)

 

OPINIÃO: O milagre da intercooperação

 

opiniao 13 07 2018*Giovani Ferreira

 

No mundo moderno e globalizado do agronegócio e do cooperativismo também é preciso ser mais eficiente e competitivo. Diluir custos e ampliar as margens como forma de remunerar melhor a atividade, seja ela comércio, produto ou serviço, de qualquer que seja a natureza do negócio. Até aqui, nada de novo. A receita é simples e continua sendo a mesma desde o início da humanidade. O desafio está em como fazer, como seguir a regra, colocar a teoria em prática.

A tecnologia tem sido uma aliada fundamental, seja na operação ou gestão do negócio, do agronegócio ou então das cooperativas. Idem para as técnicas e modelos de governança e compliance, empreendedorismo e inovação, que trazem contribuição importante do ponto de vista de inteligência. Mas como conectar tudo isso, implantar uma solução 360º, criar um ecossistema com sinergia, de pessoas e processos, capaz de propor, elaborar e executar, de forma rápida, prática e objetiva?

 

Mais uma vez, é hora de aprender. E, neste caso, nesta análise, com as cooperativas, em especial as agropecuárias. Seguindo premissas básicas e de conceitos na composição do sistema, as cooperativas Brasil afora têm experimentado, e gostado, cada vez mais, dos projetos de intercooperação. Negócios nos quais duas ou mais cooperativas singulares se unem em prol de um interesse comum, na linha “juntas somos mais” ou "juntas somos mais fortes”. Os principais e maiores cases estão na agroindústria, embora haja experiências em outros ramos do cooperativismo.

 

Foi-se o tempo, por exemplo, em que cada cooperativa de uma região produtora de leite ou trigo tinha sua própria e exclusiva indústria de processamento. A união para construir uma única unidade de beneficiamento, com capacidade para receber e processar a produção dos cooperados de todas cooperativas, digamos sócias no investimento, customiza recursos, humanos e financeiros, na implantação e operação. Ao mesmo tempo em que maximiza resultados e margens, além de diluir riscos e tornar o negócio mais eficiente e competitivo de ponta a ponta - da produção ao mercado, passando pela indústria e distribuição.

 

Um dos principais polos de intercooperação do Brasil está na região dos Campos Gerais do Paraná. Há parcerias no processamento de carnes, lácteos, grãos e cereais. Com as sedes administrativas em um raio de 100 quilômetros, as cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal beneficiam, juntas, as produções de leite, trigo e suínos de 4.500 cooperados.

 

Seguindo o exemplo das cooperativas centrais, que recebem, processam e comercializam a produção de várias singulares, os holandeses dos Campos Gerais reinventam, ou resgatam, com maestria, o cooperativismo da intercooperação. As três cooperativas somam 4,8 mil funcionários e um faturamento de R$ 6,5 bilhões em 2017. Neste modelo, não há necessidade de se criar uma central. Apenas uma gestão executiva da agroindústria, preservando assim a identidade das singulares e sua relação com o quadro social.

 

Duas premissas ou questionamentos básicos levaram essas cooperativas a decidir pela intercooperação. Primeiro porque é preciso transformar e adicionar valor à produção primária. Segundo, porque enfim entenderam que não vale a pena construir uma indústria sozinho, para operar muitas vezes à meia carga, se é possível viabilizar o negócio com escala, diluir custo e risco, na união com outras cooperativas. Além de industrializar a produção dos cooperados, essas unidades industriais processam e embalam a produção para outras marcas. Uma prestação de serviço que afere uma nova receita para as cooperativas, a partir do investimento industrial.

Surge um novo cooperativismo, das cooperativas da nova geração. Porque já não basta produzir. É preciso industrializar. É preciso cooperar. É o momento e o mundo da intercooperação. De pequenos produtores que fazem um grande negócio. Com um potencial multiplicador quase que imensurável, a considerar as mais de 6.500 cooperativas registradas no sistema OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras) no país, de 13 ramos, com 371 mil funcionários e 13,2 milhões de cooperados. Somente as cooperativas do agronegócio faturaram juntas R$ 200 bilhões, em 2017.

 

*Giovani Ferreira é coordenador da Pós-Graduação em Inovação e Gestão Estratégica no Agronegócio da Universidade Positivo (UP)

 


Versão para impressão


RODAPE