Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4360 | 29 de Junho de 2018

FRETE I: Fux só deve decidir sobre tabela de fretes após audiência marcada para 27 de agosto

frete I 29 06 2018Terminou sem acordo a reunião de conciliação promovida pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, para tentar um acordo entre caminhoneiros e empresas sobre uma tabela mínima de preços do frete. Fux disse esperar uma conciliação no dia 27 de agosto, quando realizará uma audiência pública com especialistas sobre o tema para subsidiar eventual decisão do plenário do Supremo. Enquanto isso, permanece a decisão tomada por ele de manter suspensa a tramitação de ações contra o tabelamento do frete. Fux relata uma ação direta de inconstitucionalidade da tabela de frete.

Liminar - “Depois da audiência pública, eventualmente vou trazer uma liminar para ser referendada pelo plenário", disse. Ele considera a audiência pública com especialistas importante porque o tribunal não tem expertise para julgar um tema complexo como esse. "Uma decisão abrupta pode gerar uma crise para o País, como a que assistimos recentemente", disse. Sua expectativa é chegar a uma solução de consenso.

CNA - Questionado sobre a estratégia da CNA de ingressar com novo pedido de liminar contra o tabelamento durante o recesso, para ser despachado pelo ministro de plantão, Fux disse que a entidade é livre para fazê-lo. "Mas eu não vou decidir antes da audiência pública." A CNA divulgou hoje um estudo mostrando o impacto da alta do frete na inflação. Diante dos números, Fux evitou tecer comentários e disse que a pergunta estava "sub judice". Mas informou que autoridades fazendárias e da área de política econômica serão ouvidas na audiência pública para falar desse aspecto.

Posições - A reunião foi marcada pelo endurecimento das posições da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), que se recusaram a aceitar qualquer tabela obrigatória para o frete. Por isso, o presidente da CNI, Robson Andrade, e o assessor jurídico da CNA, Rudi Ferraz, afirmaram que não havia acordo. Já o assessor jurídico da Associação dos Transportadores Rodoviários (ATR Brasil), Moacyr Ramos, autor da ação direta de inconstitucionalidade relatada por Fux, discordou das duas entidades e disse que a discussão caminha para um consenso.

Sem discussão - O presidente da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA), Diumar Bueno, apresentou uma proposta de redução de 20% sobre a tabela atualmente em vigor, editada pelo governo no dia 30 de maio. Mas, disse ele, as entidades empresariais não quiseram discuti-la. CNI e CNA pretendem insistir numa decisão de Fux antes do início do recesso, no próximo dia 30. Do contrário, a CNA está disposta a ingressar com outro pedido de liminar durante o recesso, para ser despachado pelo ministro plantonista. (Com informação da Broadcast/Grupo Estado)

 

FRETE II: Tabela emperra transporte de fertilizantes

frete II 29 06 2018O descarregamento de fertilizantes no Porto de Paranaguá está em ritmo lento e pode haver fila de navios nos próximos dias. A informação é da assessoria do Appa (Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina). Na tarde desta quinta-feira (28/06), havia cinco embarcações de adubos atracadas no local. É que, desde 27 de maio, quando o governo federal publicou a Medida Provisória 832, com a tabela mínima de frete, os agricultores estão evitando contratar o transporte do insumo para o interior. Os armazéns do próprio porto e os da retaguarda estão lotados. A situação tende a se agravar porque uma reunião realizada no STF (Supremo Tribunal Federal), também nesta quinta-feira, terminou sem acordo entre caminhoneiros e embarcadores do agronegócio e da indústria.

Audiência - O ministro Luiz Fux, relator das ADIs (Ações Diretas de Inconstitucionalidade) apresentadas contra a MP, está tentando obter um consenso entre as partes. Na semana passada, ele já havia se reunido com os representantes dos empresários e dos motoristas. Agora, ele convocou uma audiência pública para o dia 27 de agosto, quando o assunto voltará à pauta. Na segunda-feira (2) tem início o recesso do Judiciário e Fux deu a entender que não tomará decisão sobre as ADIs e manterá suspensas as liminares obtidas em primeira instância contra a tabela de frete. "Uma decisão abrupta pode gerar uma crise para o País, como a que assistimos recentemente", afirmou ele se referindo à greve dos caminhoneiros, de 21 a 31 de maio.

Preços dobraram - Além da CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil), a CNI (Confederação Nacional da Indústria) também apresentou ação contra a MP no Supremo. Alegam que tanto o frete de commodities agrícolas como o de produtos manufaturados subiu muito. No caso dos fertilizantes, a tarifa dobrou.

Quem paga a conta? - "É uma tragédia. Não tem como contratar frete de soja para o porto. E os fertilizantes estão todos lá embaixo (em Paranaguá). Não dá para subir", afirma o presidente da Ocepar (Organização das Cooperativas do Paraná), José Roberto Ricken. Segundo ele, não dá para esperar uma solução. "Em agosto começamos a plantar milho. Já temos milho safrinha para colher. Quem vai carregar? Quem vai pagar esse prejuízo?", questiona.

Preocupação - Para Ricken, não é papel do STF fazer conciliação entre as partes. E o governo federal deveria baixar nova medida provisória com valores menores. "O pessoal está em desespero. E quem vai ser o maior prejudicado é o caminhoneiro autônomo que não vai conseguir carregar mais."

Conta cara - Representante do Sindicam (Sindicato dos Caminhoneiros Autônomos) em Paranaguá, Hilton Rangel confirma que "muito pouco" fertilizante está sendo carregado para o interior. Ele afirma que, antes da tabela, as empresas pagavam pelo transporte de adubo menos da metade do valor pago para carregar grãos. "O caminhoneiro descia de Rondonópolis (MT) para Paranaguá por R$ 220 a tonelada da soja. Para voltar ao Mato Grosso com fertilizantes, recebia R$ 80, R$ 100 a tonelada. Não pagava nem o valor do óleo diesel. Agora, com a tabela, a tarifa é a mesma para todos os produtos", conta.

Processos - De acordo com Rangel, muitos caminhoneiros estão aceitando fretes com valores abaixo da tabela, mas vão processar os donos da carga. "A multa (pelo descumprimento da MP) vai de R$ 10 mil a R$ 20 mil. Estou com o meu porta-luvas já cheio de processos", garante.

Passivo - Presidente do Sindicam em Londrina, Carlos Roberto Dellarosa, diz que as empresas que descumprem a tabela estão criando um "passivo muito grande". O sindicato, segundo ele, ainda não ajuizou ações em respeito às negociações que estão sendo conduzidas pelo ministro Fux. "A tabela é o custo mínimo do frete. É a sobrevivência do caminhoneiro. Antes, estávamos falidos."

Cesta básica - A CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil) apresentou nesta quinta-feira uma medida cautelar à ação já movida por ela contra a tabela de frete no STF (Supremo Tribunal Federal). A entidade pede a suspensão dos efeitos da Medida Provisória 832. "Os prejuízos provocados ao setor do agronegócio atingem números alarmantes, chegando a R$ 500 milhões por dia apenas no que tange à cadeia produtiva da soja e do milho, situação insustentável, que clama por imediata intervenção do Poder Judiciário", escreveu a CNA no processo.

Inflação - Para a confederação, a alta do frete causará inflação e um aumento de 12,1% na cesta básica. "Se em maio de 2018 as famílias brasileiras dispendiam 46,2% do salário mínimo para aquisição da cesta básica, em julho/2018 gastarão mais de 50% do salário mínimo para adquirirem os mesmos produtos", alega.

IPCA - A assessoria do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas) disse à FOLHA que o órgão não se pronunciará sobre a estimativa de inflação feita pela CNA sobre a cesta básica. E que, na sexta-feira (6), ao divulgar o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) de junho, os técnicos do órgão poderão ter condições de avaliar o impacto da tabela de frete. A prévia da inflação (IPCA-15) de junho, já divulgada pelo IBGE, chegou a 1,11%, a maior variação para o mês desde 1995, quando o índice registrou 2,35%. Os grupos alimentação e bebidas (1,57%), habitação (1,74%) e transportes (1,95%) foram as principais influências para o resultado. Para o cálculo do IPCA-15, os preços foram coletados no período de 16 de maio a 13 de junho de 2018. A Medida Provisória da tabela de frete foi publicada dia 27 e maio. A greve dos caminhoneiros transcorreu entre os dias 21 e 31 do mês passado. (Folha de Londrina)

 

DIA C I: Cooperativas oferecem atividades gratuitas à população em Curitiba

 

dia c I 29 06 2018O dia 30 de junho será de incentivo ao voluntariado e celebração do cooperativismo em todo o Brasil. Nesse dia, cooperativas do país inteiro irão promover ações para a população em espaços públicos. Na capital paranaense, o Dia de Cooperar – Dia C acontecerá das 10 às 16 horas, no Parque dos Tropeiros, na Cidade Industrial de Curitiba (CIC). A expectativa é de que duas mil pessoas passem pelo local, beneficiando-se da ação promovida pelo Sistema Ocepar, em parceria com cooperativas paranaenses e apoio da Unicic (União das Associações de Moradores da CIC) e da Prefeitura de Curitiba.

 

Voluntários - Mais de 350 voluntários irão trabalhar no Dia C em Curitiba. Eles estarão em 17 tendas, onde estarão sendo oferecidas gratuitamente atividades de bem-estar (corte de cabelo, design de sobrancelha, penteados); saúde (avaliação odontológica, testes de glicemia, aferição de pressão e exame dos pés diabéticos); educação (contação de histórias, educação financeira e orientação na elaboração de currículo); lazer (pintura de rosto, jogos de tabuleiro, minigol, circuito de bike e apresentações artísticas); e cooperação (distribuição de mudas, livros e gibis, coleta de óleo e cadastro no Projeto Brasil Sem Frestas – que usa caixas de leite vazias para forrar casas de madeira de modo a proteger os moradores do vento e da chuva). Já no palco do Parque, haverá aula de alongamento e Zumba, apresentações de dança e também do Grupo Sou Arte, companhia que percorre o estado com espetáculos que mesclam circo, dança e teatro. 

 

Campanha nacional - O Dia C é uma campanha nacional do cooperativismo. Em Curitiba, as atividades ocorrem desde 2014. Neste ano, participam as cooperativas Dental Uni, Aurora, Sicoob, Central Sicredi, Sicredi Integração, Sicredi Medicred, Sicredi Campos Gerais, Sicredi Crednoreg, Unimed Curitiba, Unimed Paraná. “Ao colocar em prática o princípio cooperativista do Interesse pela Comunidade, nós nos empenhamos em melhorar a vida de todos aqueles que estão ao nosso redor”, declara José Roberto Ricken, presidente do Sistema Ocepar.

 

Parque dos Tropeiros - Além da ampla área verde, a escolha do Parque dos Tropeiros se deu pela localização em uma região que abrange diversas famílias de baixa renda, em consonância com o movimento, que tem em sua essência o envolvimento com a comunidade e a ajuda mútua. “O mote do Dia C deste ano é atitudes simples movem o mundo. O cooperativismo espelha muito isso, portanto, nosso foco é mostrar que nossas atitudes impactam diretamente a vida de muitas pessoas”, explica Fabianne Ratzke, analista de Cooperativismo do Sescoop/PR e coordenadora do Dia C no Paraná.

 

Expectativa - Para Regina dos Reis, presidente da Unicic, que engloba 170 associações de moradores, a realização do Dia C no local é uma grande vitória. “Nossa expectativa é muito boa, porque são seis anos de briga para reativar o Parque dos Tropeiros, que estava desativado. É muito útil termos essa parceria”, comemora. “Nossa ação no Dia de Cooperar vai envolver corte de cabelo, manicure e brincadeiras para as crianças”, completa. 

 

Programação - A programação inclui, ainda, a participação do caminhão do Programa Cuide-se +, do Sesi/PR (http://www.sesipr.org.br/cuide-se-mais/cancer/unidade-movel/#Home), com exames de pele e mama, com foco no combate e prevenção ao câncer. Já o Sicredi Campos Gerais arrecada óleo de cozinha usado, para fabricação de sabão. Toda a arrecadação até 30 de junho vai ser revertida em produtos para a Unic. 

 

Cidade Industrial de Curitiba - De acordo com o Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), com base no Censo de 2010, a CIC representa cerca de 10% da população da capital paranaense (mais de 170 mil habitantes). Formado por mais de 80 vilas, o bairro sofre com diversos problemas, como falta de infraestrutura, ocupações irregulares (tendo algo como 20% da zona favelizada de Curitiba) e altos índices de violência. Enquanto em 2010, a taxa de homicídios do município era de 42,81 por 100 mil habitantes, na CIC o indicador era de 70,59 homicídios por 100 mil habitantes. 

 

Dia C - O Dia C é um grande movimento nacional de estímulo à realização de iniciativas voluntárias, contínuas, transformadoras e efetivas, nos municípios brasileiros. A meta deste ano é beneficiar mais de um milhão de pessoas em ações simultâneas em todo o Brasil e contribuir ainda mais para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU).

 

Celebração - Por meio do Dia de Cooperar, cuja celebração neste ano ocorre, nacionalmente, em 30 de junho, cooperativistas e voluntários de todo o Brasil dão as mãos e promovem iniciativas que transformam a realidade das pessoas e contribuem para a construção de um país mais justo, equilibrado e com mais oportunidades para todos. 

 

Paraná - Somente no Paraná, em 2017, o Dia C mobilizou, ao longo do ano, mais de 5 mil cooperativistas de 146 cooperativas. Os projetos e ações foram realizados em 75 municípios, beneficiando 71 mil paranaenses. 

Mais informações em: http://diac.somoscooperativismo.coop.br/dia-c.

 

Serviço

Dia C em Curitiba/PR

Local: Parque dos Tropeiros (R. Raul Pompéia, s/n - CIC)

Data: 30 de junho

Horário: das 10 às 16 horas

#VemCooperar

 

DIA C II: Voluntários se reúnem neste sábado para produzir 22 mil fraldas geriátricas

dia c II 29 06 2018

 

Neste sábado, dia 30 de junho, seis cooperativas de Maringá irão participar do evento de celebração do Dia C, campanha nacional promovida pela Organização das Cooperativas Brasileiras. Juntas, Unimed Maringá, Cocamar, Sicredi, Sicoob, Uniodonto e Unicampo pretendem reunir 650 voluntários, com o objetivo de produzir 22 mil fraldas geriátricas. A iniciativa acontece na Associação da Cocamar, das 8h às 12h.

 

Doação - As fraldas serão distribuídas para o Programa do Voluntariado Paranaense (Provopar), Lar dos Velhinhos de Maringá e Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE). “Ano passado também participamos da ação, quando os voluntários conseguiram confeccionar 20 mil fraldas geriátricas em 4 horas. Este ano queremos superar essa meta porque sabemos que este é um produto muito utilizado nessas instituições”, comenta o especialista de Marketing da Unimed Maringá, Walter Quevedo.

 

Voluntários - O “Dia C” este ano traz o tema “Atitudes simples movem o mundo”, a iniciativa mobiliza voluntários de cooperativas de todo o país com o objetivo de promover a cooperação e o voluntariado em prol da comunidade. Para isso, são realizadas ações diversificadas e ligadas à responsabilidade social, ambiental, saúde, esporte e lazer, que acontecem simultaneamente pelo Brasil. 

 

Participação - A comunidade também pode se voluntariar para ajudar centenas de pessoas por meio de um gesto simples, mas muito importante. Quem tiver interesse em ajudar a confeccionar as fraldas geriátricas, pode confirmar presença por meio do link: https://goo.gl/ex7Ngm

 

SERVIÇO:

Nome do evento: Dia C (Dia de Coooperar)

Data: 30/06/18 (sábado)

Horário: das 8h às 12h

Local: Associação da Cocamar (Av. Constâncio Pereira Dias, 1000, Maringá)

Contato: Walter Quevedo (99803-5588)

 

DIA C III: Em Marechal Cândido Rondon, Dia de Cooperar será celebrado na praça Willy Barth

 

dia c III 29 06 2018Compartilhar boas ações e colocá-las em prática são premissas fundamentais para a construção de um mundo melhor. E com o intuito de estimular a prática de boas ações, será celebrado, em todo o Brasil, no próximo sábado (30), o Dia de Cooperar. Com o lema “Atitudes Simples Movem o Mundo”, o Dia C mobiliza anualmente milhares de pessoas em todo o país para a realização de diversas iniciativas voltadas à responsabilidade social das cooperativas, visando colocar em prática um dos sete princípios do cooperativismo: Interesse pela Comunidade. 

 

Intercooperação - Em Marechal Cândido Rondon o Dia C será celebrado em um evento na Praça Willy Barth, das 09h às 17h e que contará com ações promovidas através da intercooperação entre as cooperativas ligadas ao Conselho de Cooperativismo da Acimacar: Copagril, Sicredi, Sicoob, Cercar, Unimed, Uniprime, Cresol, Cooperlindeiros, Frimesa, Cooperagir e Coofamel. A iniciativa conta com o apoio do Cojem, Acimacar, Associação Sangue Bom, Sesc, Saae e da Prefeitura Municipal.

 

Programação - A celebração do Dia C em Marechal Cândido Rondon contará com apresentações culturais, promovidas pela Secretaria de Cultura do município e pelo Clube de Tradições Gaúchas (CTG), tenda mateada, atividades recreativas promovidas pelo SESC e pela Secretaria de Esportes e estarão a disposição da comunidade, ações voltadas a saúde, como aferição de pressão, testes de glicemia e cálculo do índice de massa corporal.

 

Doação de sangue -  Na mesma ocasião, os voluntários das cooperativas em parceira com a Associação Sangue Bom incentivarão o público a realizar cadastro de doador de sangue, afinal, o percentual de doadores de sangue é muito baixo, enquanto a necessidade de sangue é constante, por isso, o incentivo as doações será um dos focos do Dia C. Durante o dia voluntários também realizarão a entrega de panfletos em vários pontos da cidade, visando difundir o Dia C, o cooperativismo e também a importância da doação de sangue.

 

Arrecadação de donativos - O evento do próximo sábado marcará também o encerramento campanha de arrecadação de donativos realizada pelas cooperativas desde o dia 25 de maio. Por isso toda a população é convidada a colaborar levando até o local: roupas e calçados, produtos de limpeza e higiene pessoal, além de leite longa vida, que serão oficialmente repassadas a entidades beneficentes no evento. (Imprensa Copagril)

 

DIA C IV: Ação mobiliza colaboradores da Sicredi União PR/SP

 

dia c IV 29 06 2018Todas as agências da Sicredi União PR/SP estão mobilizadas em torno das ações do Dia C – Dia de Cooperar. Na Regional Norte, que engloba 15 agências, as atividades são variadas e vão desde plantio de árvores a visitas e atividades com crianças e idosos.  A grande maioria das ações ocorre dia 7 de julho. Em Pitangueiras, a agência vai trabalhar na conservação da pista de caminhada da Praça Central. Os colaboradores de Porecatu, em parceria com escolas municipais, farão uma manhã de lazer com muitas brincadeiras para as crianças, com objetivo de arrecadar alimentos. Todas as doações serão encaminhadas à Apae da cidade,  que atende 100 alunos com deficiência. A atividade será no sábado, 7, na praça central. 

 

Sábado - Neste sábado, dia 30, a diversão com a criançada acontece em Bela Vista do Paraíso, tudo preparado com muito carinho pelos colaboradores da agência da cidade. Por lá também haverá dicas para cuidar bem da saúde.

 

Arrecadação - Na agência de Prado Ferreira, o Dia C começou há algum tempo com a arrecadação de agasalhos, que serão entregues, à Apae da cidade, no dia 7. A ação envolveu colaboradores e comunidade, que fizeram doações. O Arraiá do Asilo São Vicente, de Sertanópolis, ganha uma reforço especial este ano, com o trabalho voluntário e doações dos colaboradores da cooperativa Sicredi da cidade. O arraiá, já tradicional,  acontece no sábado (7).  

 

Regional Norte - A mais nova agência da Regional Norte, em Cafeara, e a de Jaguapitã fizeram ações conjuntas, arrecadando presentes que serão destinados à Apae. 

 

Sabáudia - Os colaboradores de Sabáudia farão o plantio de mata ciliar no Pesqueiro e Parque Aquático Molipark, no dia 21 de julho. Em Cambé, os colaboradores se dedicaram a servir a comunidade, trabalhando como garçons na festa de Santo Antonio, muito famosa na cidade. Estão ainda arrecadando latinhas que serão usadas para aquisição de cadeira de rodas para pessoas necessitadas. Ibiporã fará um grande mutirão de conscientização sobre os riscos da Dengue, no bairro Jardim Santa Paula, envolvendo várias entidades da cidade, no sábado, 7.

 

Londrina - As agências de Londrina também decidiram por ações independentes, impactando um número maior de pessoas. A agência da Duque de Caxias optou por doação de sangue, a da Higienópolis participará da festa junina do Lar das Vovozinhas e Vovozinhos, levando alegria, bolos e doces; a da Zona Norte está arrecadando cestas básicas para doações a famílias carentes e participará da festa junina da Paróquia Santa Cruz; a agência Tiradentes  fará uma horta solidária, revitalização do pomar e pintura da quadra do Instituto Nuselon, que atende crianças em processo de adoção; e a agência Santos Dumont fará a distribuição de sementes da árvores Crotalária Juncea em 500 casas do bairro onde está localizada. A planta atrai libélula que põe seus ovos em água parada e limpa, da mesma maneira que o Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue. Mas a libélula é um inimigo natural do Aedes, reduzindo sua incidência.(Imprensa Sicredi União)

 

COAGRU: Dias de Campo trazem Informação e atualização aos cooperados

 

A Coagru realizou durante o mês de junho os tradicionais dias de campo de milho 2ª safra. Esses eventos são realizados na área de atuação da cooperativa, sendo organizados pelo departamento técnico em parceria com os cooperados e as empresas parceiras. De acordo com o diretor secretário e responsável pelo Departamento técnico da Coagru, Marcos Rossetto, os dias de campo descentralizados proporcionam aos cooperados informações muito importantes sobre as características dos híbridos de milho disponíveis no mercado, além do que existe de mais novo em manejo de adubação e controle de plantas daninhas, pragas e doenças. “Com esses dias de campo, os produtores têm condições de comparar os híbridos e escolher aquele que melhor se adapta às condições de sua propriedade”, enfatizou Marcos. 

 

Híbridos de milho - Durante as visitas, os produtores recebem informações sobre os híbridos de milho, biotecnologia, correção de solo e adubação, tratamento de semente, manejo de plantas daninhas, controle de pragas e doenças, adubação foliar e informações de clima e mercado. Dessa maneira, todas as tecnologias existentes na cadeia produtiva do milho são oferecidas ao quadro social para serem utilizadas nas propriedades na busca por maiores rentabilidades na cultura. 

 

Demonstração - Em Campina da Lagoa, a demonstração aconteceu na propriedade do cooperado Aparecido Vieira de Andrade, em Anahy, o dia de campo foi  na propriedade rural do cooperado Adalberto Simões, no Rio Verde os cooperantes visitaram os experimentos na propriedade do cooperado João Roberto Rossetto, e fechando o ciclo, em Nova Cantu na Fazenda Liza, propriedade do cooperado Nelson Slaviero. Ao final de cada dia de campo, todos se confraternizavam com um delicioso churrasco. (Imprensa Coagru)

 

{vsig}2018/noticias/06/29/coagru/{/vsig}

COPAGRIL: Cooperativa realiza Seminário Soja e Milho e homenageia produtores associados

 

Compreendendo a importância de compartilhar informações estratégias que proporcionem aumento de produtividade das culturas, contribuindo para a melhoria da renda e da qualidade de vida de seus associados, a Copagril realizou, na tarde de ontem (28/06), o Seminário Anual de Soja e Milho, no Salão Social da AACC, em Marechal Cândido Rondon. Estiveram presentes à abertura os diretores executivos da Copagril, presidente Ricardo Sílvio Chapla, vice-presidente Elói Darci Podkowa e diretor-secretário, Márcio Buss, além da presidente da Associação dos Comitês de Jovens da Copagril (ACJC), Vanessa Wommer.

 

Palestra - Durante o evento foi ministrada palestra sobre "Estratégias de manejo para altas produtividades de soja e milho”, com o engenheiro agrônomo e pesquisador da Universidade Federal de Pelotas (RS), Dr. Paulo Dejalma Zimmer. De forma clara e bastante ilustrativa, o pesquisador repassou diversas informações relevantes para as práticas de cultivo, ressaltando a importância do planejamento. “O melhor laboratório de agronomia é a propriedade rural, por isso é essencial registrar todas as práticas adotadas”, defendeu.

 

Sementes de qualidade - Dejalma Zimmer fez uma analogia entre a agricultura e a pecuária leiteira. “Assim como todo produtor sabe que a produção de leite vem da vaca, todos precisamos lembrar que a unidade produtiva da agricultura é a planta. Portanto, é fundamental a escolha da variedade: é preciso adotar sementes de qualidade, tratadas e com alto potencial produtivo”, enfatizou. “Planta ruim é como vaca desdentada: não adianta oferecer ótimos alimentos se ela não consegue comer”, comparou, exemplificando.

 

Rendimento - O engenheiro agrônomo ainda realizou apontamento dos componentes de rendimento da soja, fazendo indicação de pontos que podem ser melhorados. “Em muitos casos há plantas demais na lavoura e essa população em excesso está prejudicando o programa nutricional e o programa de proteção (sanidade) das plantas. Consequentemente também afeta a produtividade”, alertou. Na visão de Zimmer, dentre os pontos que podem ser melhorados está o melhor aproveitamento de fatores como: luz, água e ar. 

 

10 mandamentos - A partir da analogia com bovinos, o palestrante explanou aos associados da cooperativa sobre os 10 mandamentos da produtividade: 1) Usarás sementes da mais alta qualidade; 2) Usarás sementes inoculadas e tratadas com perfeição; 3) Cuidarás do leito de semeadura (solo); 4) Ocuparás todos os espaços da sua lavoura com plantas vigorosas e sadias; 5) Regularás a plantadeira, cuidarás da velocidade do processo e acompanharás com métrica; 6) Protegerás todas as folhas, vagens e plantas; 7) Evitarás o coeficiente de compensação; 8) Previamente à colheita, farás um inventário registrando acertos e erros (limitadores); 9) Terás foco nos seus limitadores de produtividade; 10) Cultivarás relações pessoais e comerciais com parceiros comprometidos com a produtividade.

 

Homenagem - Durante o seminário, a Copagril homenageou os produtores associados que tiveram as melhores produtividades nas culturas de soja e milho na safra verão 2017/2018. Na categoria de soja a premiação foi dividida em duas categorias, sendo uma categoria de produtores com área até 10 alqueires de cultivo e a outra para produtores com área de cultivo acima de 10 alqueires no período.

 

Concurso - Na sequência da programação foi realizada divulgação dos vencedores do 40º Concurso de Projetos Agrícolas da ACJC, que envolve os comitês de jovens da Copagril. Foram homenageados os comitês que tiveram as melhores produtividades em soja e milho, além da premiação dos campeões gerais. Confira a relação dos premiados:

 

Produtores destaque safra 2017/2018:

Maior produtividade de soja em área até 10 alqueires:

1º lugar: Marcos C. Erig - Iguiporã (Marechal C.Rondon) - Média 197,9 sacas por alqueire

2º lugar: Cesar Luiz Maldaner - Entre Rios do Oeste - 195,1 sacas por alqueire

3º lugar: Edson Knaul - Mercedes - Média 192 sacas por alqueire

Maior produtividade de soja em área acima de 10 alqueires:

1º lugar: Albino José Petrykoski - Itaquiraí (MS) - Média 185,7 sacas por alqueire

2º lugar: Mauro Luiz Marcato - Bela Vista - Média 182 sacas por alqueire

3º lugar: Wilson Lotário Risse - Média 177,4 sacas por alqueire

Maior produtividade de Milho:

1º lugar: Lucia Maria Eckstein - Quatro Pontes - Média 436 sacas por alqueire

2º lugar: Alexandre Ricardo Wickert - Quatro Pontes  - Média 433,5 sacas por alqueire

3º lugar: Odacir Rupolo e família - Margarida (Marechal C. Rondon) - Média 432 sacas por alqueire

 

Resultado Concurso de Projetos Agrícolas ACJC Safra 2017/2018:

Maior produtividade de soja:

1º lugar: CJC Flor da Serra - Iguiporã (M.C.Rondon)

2º lugar: CJC Ordem e Progresso - Quatro Pontes

3º lugar: CJC Juntos Venceremos - Linha São João e Wilhelms (M.C.Rondon)

Maior produtividade de milho:

1º lugar: CJC Ordem e Progresso - Quatro Pontes

2º lugar: CJC Flor da Serra - Iguiporã (M.C.Rondon)

3º lugar: CJC Força Jovem - Linha Ajuricaba (M.C.Rondon)

Classificação Geral:

1º lugar: CJC Flor da Serra - Iguiporã (M.C.Rondon)

2º lugar: CJC Ordem e Progresso - Quatro Pontes

3º lugar: CJC Ação Jovem - Novo Três Passos (M.C.Rondon)

(Imprensa Copagril)

 

{vsig}2018/noticias/06/29/copagril/{/vsig}

SICREDI ALIANÇA: Encontros de Prestação de Contas do primeiro semestre iniciam na próxima segunda-feira

 

Participar do desenvolvimento da cooperativa é importante para a cooperativa e para o associado. Neste sentido, Sicredi Aliança PR/SP inicia no dia 2 de julho o processo de Prestação de Contas do primeiro semestre de 2018. Os encontros acontecerão em todas as cidades de atuação da cooperativa, tanto no estado do Paraná quanto em São Paulo. No estado de São Paulo, os encontros serão de 02 a 06 de julho e no Paraná vão de 02 a 14 de agosto.

 

Participação - O Presidente do Conselho de Administração da Sicredi Aliança PR/SP, Adolfo Rudolfo Freitag, destaca que quanto mais o associado participa da gestão, mais ele contribui com o crescimento e com a solidez da cooperativa. “Este momento nos proporciona conversar mais de perto com o nosso associado. Permite apresentarmos o desempenho da cooperativa por meio dos resultados, explanarmos sobre as ações que já desenvolvemos junto à comunidade até a metade deste ano e trocar ideias. Tudo isso faz parte do nosso propósito que é agregar renda e melhorar a qualidade de vida das pessoas. Todos estão convidados a participar”, disse.

 

Cooperativismo - No estado de São Paulo, os encontros contarão com um bate-papo sobre cooperativismo com Helda Elaine que é palestrante, Mestre em Desenvolvimento Regional e Agronegócio e especialista em Marketing e Comunicação Empresarial. Helda Elaine também é formada em Psicoterapia e Parapsicologia e é Master Practitioner e Advanced Trainer em Programação Neurolinguística. (Imprensa Sicredi Aliança)

 

{vsig}2018/noticias/06/29/sicredi_alianca/{/vsig}

SICOOB METROPOLITANO: Treinamento foca o alinhamento de processos

 

sicoob metropolitano 29 06 2018Colaboradores do Sicoob Metropolitano envolvidos nas atividades de caixa e tesouraria participaram, recentemente, de uma capacitação sobre alinhamento de processos realizada na Agência Escola da cooperativa. Ministrado pelos colaboradores Lilian Gonzales, Marcelo Silva e Maristela de Oliveira, o treinamento teve como objetivo padronizar o atendimento prestado aos cooperados. Também foram apresentados, os principais produtos e serviços, ferramentas e estratégias para o desenvolvimento negocial.

 

Valorização - Além dessa turma, as capacitações já foram realizadas nos Pontos de Atendimento de Colorado e Campo Mourão. Em breve serão replicadas aos colaboradores que exercem as atividades de caixa e tesouraria, mas que ainda não participaram desse alinhamento. Segundo o instrutor Marcelo Silva, com os treinamentos é possível desenvolver as potencialidades de cada colaborador, favorecendo a permanência de talentos promissores na cooperativa. “Promove-se o sentimento de valorização da equipe e incentivo para um desempenho melhor. Em consequência, uma equipe qualificada e motivada certamente trará melhores resultados”, relatou.

 

Atualização - Para a tesoureira, Juliana Carla Rovina, a capacitação foi de grande importância em decorrência das últimas atualizações dos sistemas. “Ocorreram várias as mudanças, tanto em relação ao sistema operacional, quanto ao financeiro e, dessa forma, conversar sobre o assunto traz segurança para nossa rotina”, afirmou. (Sicoob Metropolitano)

 

IAPAR: Lançamento de livro, nova cultivar de trigo e inaugurações marcam os 46 anos do Iapar nesta sexta-feira (29)

 

iapar 29 06 2018O Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) abriu as portas de sua sede, em Londrina, na manhã desta sexta-feira (29/06) para a celebração de seus 46 anos de fundação. Lançamentos de livro e de cultivar de trigo, inaugurações, homenagens e premiação dos vencedores do projeto “Vigilantes do Amanhã” são os destaques do dia. 

 

Programação - A programação começou às 8h30m com a reunião anual do Conselho de Administração. Às 10 horas, houve a inauguração do prédio construído para abrigar o laboratório de solos e a reforma da unidade de beneficiamento de sementes, que foi ampliada e modernizada. As atividades prosseguem com o lançamento do livro “Cultivo da Seringueira no Paraná”, primeiro e único do país sobre o tema, fruto de anos de pesquisa do Iapar, de autoria dos pesquisadores Jomar Paes Pereira, Alex Carneiro Leal e André Medeiros Ramos.

 

Trigo - Segue-se o lançamento da nova cultivar de trigo IPR Potyporã, desenvolvida em parceria entre o Iapar e Fundação Meridional, entidade privada que reúne empresas de sementes de vários estados brasileiros e que busca na pesquisa pública alternativas aos monopólios tecnológicos das grandes multinacionais. Também será concluído na sexta-feira, com a assinatura de sua regulamentação, o processo de implantação da Política de Inovação do Iapar, que incorpora dispositivos da legislação federal e estadual para dar mais flexibilidade à realização de parcerias com o setor privado.

 

Fotos - Finalizando, haverá o anúncio dos vencedores do projeto “Vigilantes do Amanhã”, um concurso de fotos legendadas sobre a importância da preservação do solo e os perigos da erosão urbana e rural que mobilizou 12 turmas de 7º ano de escolas estaduais da região nos meses de maio e junho. Parceria do Iapar com o Núcleo Regional de Educação de Londrina e página “Folha Cidadania”, da Folha de Londrina, o projeto foi lançado na ExpoLondrina 2018 pela governadora Cida Borghetti e pela secretária de Educação Lúcia Cortez.

 

Resultados - Instituído em 29 de junho de 1972, o Iapar é um centro de pesquisa agropecuária vinculado à Seab. Nesses 46 anos de atividades, a atuação do instituto foi marcada pelo pioneirismo em várias frentes, como o desenvolvimento cultivares de feijão tolerantes ao mosaico dourado, uma das principais doenças da cultura no Brasil, e de maçãs para regiões de inverno ameno, atualmente cultivados em todos os Estados do Sul do Brasil, São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e até na Bahia.

 

Citros - O pioneirismo se estendeu ainda aos citros. Foram estudos desenvolvidos nos laboratórios e campos experimentais do Iapar que que possibilitaram ao Paraná desenvolver essa cadeia produtiva e a inserção do Estado no cenário nacional e internacional de frutas cítricas. Na pecuária de corte, o Iapar criou a primeira raça paranaense – e também a primeira no Brasil originada em um centro estadual de pesquisa – o Purunã. Os cruzamentos foram iniciados em 1985, visando um animal capaz de produzir carcaças de elevado padrão, com baixo custo e que ficassem prontos para abate em pouco tempo. Para alcançar esses objetivos, os pesquisadores partiram de cruzamentos controlados envolvendo animais puros das raças Aberdeen Angus, Canchim, Caracu e Charolês. 

 

Plantio direto - O IAPAR foi ainda um dos precursores nas pesquisas com plantio direto no Brasil. A instituição mal iniciara suas operações, no início da década de 1970, quando os pesquisadores enfrentaram o problema da erosão, que devastava propriedades agrícolas, rios e córregos do Paraná. Com abordagem em microbacias, desenvolveram e adaptaram métodos de terraceamento e cultivo mínimo que possibilitaram recuperar milhares de hectares de solo cultivado e inspiraram projetos similares em outras regiões brasileiras e também na América Latina e na África. 

 

Café - Na produção cafeeira, registre-se o esforço para a recuperação da cultura no Estado após a famosa geada de 1975, com o desenvolvimento do modelo de plantio adensado e foco na qualidade da bebida. A equipe do programa café também trabalhou, em parceria com entidades nacionais e internacionais, no sequenciamento do genoma da planta e, atualmente, estuda o mecanismo de formação dos frutos, em busca de grãos que deem bebida com características diferenciadas de aroma, corpo, sabor e acidez. Desde 2013, o Iapar oferece ainda um curso de mestrado, com grade curricular que privilegia a produção ambientalmente sustentável. 

 

Estrutura e projetos - A instituição está presente em todo o Paraná. Sua estrutura conta cinco unidades regionais (Curitiba, Ponta Grossa, Paranavaí, Pato Branco e Santa Tereza do Oeste), 20 fazendas experimentais, três unidades de beneficiamento de sementes, 25 laboratórios de diferentes áreas de especialidade e 28 estações agrometeorológicas (também utiliza dados de outras 43 estações do Sistema Meteorológico do Paraná-Simepar).

 

Programas - As atividades do Iapar são organizadas em 15 programas temáticos: agroecologia, café, cereais de inverno, cultivos florestais, energias renováveis, feijão, fruticultura, gestão da inovação, integração lavoura-pecuária, milho, pecuária de leite e de corte, propagação vegetal, raízes e tubérculos, recursos naturais e sistemas de produção. Nesses programas são realizados 220 grandes projetos de investigação científica, que se desmembram em 690 ensaios de campo espalhados por todo o Paraná, executados em estações experimentais próprias e em áreas de universidades, cooperativas, centros de pesquisa e outros parceiros. Trabalham no Iapar 510 servidores, sendo 97 deles pesquisadores. Atuam ainda na instituição outros cerca de 650 voluntários, bolsistas, estagiários e trabalhadores temporários.

 

Caminhos da Agroinovação - O evento de celebração dos 46 anos do IAPAR integra a campanha “Paraná 2018 – Caminhos da Agroinovação”, que prevê atividades em todas as regiões do estado, durante o ano, visando a divulgação e fortalecimento da pesquisa pública agropecuária paranaense. A campanha, uma parceria entre Iapar e Associação dos Engenheiros Agrônomos de Londrina, é patrocinada pela Faep, Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Banco Regional do Extremo Sul (BRDE), Ocepar, Parque Tecnológico de Biociências de Toledo (Biopark), Cooperativa Agroindustrial de Maringá (Cocamar), Itaipu Binacional e Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-PR).

 

SERVIÇO

Eventos comemorativos do 46º aniversário do Iapar

Data: 29 de junho, sexta-feira

Local: sede da instituição, em Londrina (rodovia Celso Garcia Cid, km 375 – saída para Curitiba)

Programa:

8h30 – Reunião do Conselho de Administração

A partir das 10h:

– Inauguração do laboratório de solos/entrega da reforma da unidade de beneficiamento de sementes

– Apresentação da nova cultivar de trigo IPR Potyporã

– Lançamento do livro “Cultivo da Seringueira no Paraná”

– Premiações do projeto “Vigilantes do Amanhã”

– Assinatura da regulamentação da Política de Inovações do IAPAR

– Homenagens e pronunciamentos

 

FLORESTAS: Iapar lança manual para plantio de seringueira no Paraná

 

florestas 29 06 2018O Instituto Agronômico do Paraná (Iapar) lança nesta sexta-feira (29/06) o livro Cultivo de Seringueira no Paraná. A obra é um minucioso compêndio sobre procedimentos técnicos em todas as etapas de cultivo – da seleção de áreas apropriadas ao plantio de seringais, formação de mudas e implantação do seringal até a extração do látex. “São quase 30 anos de pesquisas condensados no livro. O Iapar começou a estudar a adaptação da seringueira no Paraná ainda no final da década de 1980”, resume o engenheiro florestal André Luiz Medeiros Ramos, autor da obra juntamente com os pesquisadores Jomar da Paes Pereira e Alex Carneiro Leal.

 

Potencial - E esses estudos apontam para o elevado potencial da atividade no Estado, seja do ponto de vista agronômico, econômico, social ou ambiental. “Há extensas áreas favoráveis ao cultivo, e seringueira pode ser uma opção para pequenos e grandes produtores, em plantios puros ou em sistemas agroflorestais”, ele esclarece. O diretor de pesquisas Tiago Pellini defende que a produção de borracha pode ser uma atividade relevante em estratégias de desenvolvimento rural e industrial do Paraná. “Parcerias entre o governo e o setor privado vêm sendo desenvolvidas para estimular sua expansão, e nesse contexto o aporte de conhecimento técnico é fundamental. Daí a importância desta obra”, conclui.

 

A planta - Natural da região amazônica, a seringueira (Hevea brasiliensis) pertence à família das euforbiáceas, a mesma da mandioca, mamona e pinhão-manso. Segundo o pesquisador André Ramos, não se sabe muito sobre o início da obtenção de borracha, mas ela ganhou importância econômica quando, em meados do século 19, o americano Charles Goodyear e o inglês Thomas Hancock desenvolveram a técnica da vulcanização – tratamento químico que torna a borracha natural flexível e resistente –, o que impulsionou a fabricação de pneus e a indústria automobilística.

 

Cultivo - A partir de então, ingleses, franceses e holandeses vislumbraram a possibilidade de cultivar a seringueira nas suas colônias do Sudeste da Ásia com condições de solo e clima parecidas com a Amazônia. Tudo o mais se sucedeu a partir de um caso de biopirataria protagonizado pelo botânico Henry Wickham. Em 1876 ele coletou 70.000 sementes de seringueira e as levou para Londres. A partir delas foram obtidas 2.397 plântulas, posteriormente enviadas aos jardins botânicos de Peradenya e Heneratgota, no Ceilão (atual Sri Lanka). Um ano depois, em 1877, a espécie foi levada também para o Jardim Botânico de Singapura. Em 1895 os ingleses iniciaram a plantação comercial na Malásia, país que se tornou um dos maiores produtores de borracha natural. De único produtor e exportador de borracha natural no início do século 20, o Brasil passou a importador a partir de 1952, situação que perdura até hoje.

 

Mercado - De acordo com Ramos, o mercado para a borracha se mostra bastante favorável a médio e a longo prazos. Estima-se que há um déficit de aproximadamente 85 mil toneladas de borracha natural no mercado mundial. Cerca de 60% da borracha natural consumida no Brasil, é importada. “Para que o país atinja autossuficiência, será necessário o plantio de cerca de 700 mil hectares de seringais até 2020”, ele aponta.

 

Diversificação - Situação mercadológica que faz da seringueira uma opção rentável para a diversificação de culturas, com uso de florestas plantadas em locais onde seu cultivo não é tradicional, como a Zona da Mata em Pernambuco, o Sul do Maranhão, o litoral Sul da Bahia, os Estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo e, ainda, o Noroeste do Paraná. Como dificuldades, Ramos alerta para a acentuada redução de mão de obra no meio rural e problemas de pragas e doenças, ainda mais preocupantes com a limitação de agrotóxicos registrados para seringais.

 

Paraná - A seringueira chegou ao Paraná em plantios no litoral, mas a partir dos anos 1980 se desenvolveu na região Noroeste, expansão que se deu de modo tecnologicamente inadequado pela falta de tradição no cultivo, carência de mão de obra especializada e de técnicos com conhecimentos específicos no cultivo e manejo, segundo Ramos. Hoje são cultivados 1.500 hectares no Estado, em plantios localizados principalmente nos municípios de Nova Esperança, Paranapoema e Santo Inácio. “O potencial de expansão da área é grande, em parte em função da condição de temperaturas registradas no Paraná, que favorecem a produtividade de látex”, conclui Ramos.

 

Serviço

Lançamento do livro “Cultivo de seringueira no Paraná”

Local: sede da instituição, em Londrina (rodovia Celso Garcia Cid, km 375 – saída para Curitiba)

Data: sexta-feira, 29 de junho

Horário: a partir das 10 horas

(Assessoria Iapar)

 


Versão para impressão


RODAPE