Imprimir
CABECALHO

Informe Paraná Cooperativo - edição nº 4345 | 08 de Junho de 2018

SISTEMA S: Desenvolvendo pessoas para um mundo mais humano e justo

“Minha carreira executiva é resultado do apoio que tive do Sistema S ao longo da minha vida. Portanto, não podemos deixar acabar com este sistema, pois é ele que ajuda acabar com a desigualdade social no País”, disse Walter Ribas, gerente de pessoas da cooperativa Frísia durante evento realizado na manhã desta sexta-feira (08/06), na Unidade do Sistema Fiep, em Curitiba, quando representantes das nove entidades que integram o Sistema S no Paraná apresentaram os ganhos que a sociedade experimenta, por meio de milhares de ações diretas e indiretas.

De pai para filho - Walter foi convidado pelo Sescoop/PR para falar da sua experiência de vida. O gerente relatou que seu pai, em 1959, quando chegou a Ponta Grossa, só conseguiu arrumar emprego quando fez um curso de torneiro mecânico no Senai. “Meu pai conseguiu criar todos os filhos com esta profissão e queria que também fizesse este curso. Eu não queria, resolvi fazer datilografia no Senac e hoje com apoio do Sescoop faço Mestrado no ISAE, melhorando meus conhecimentos para que também possa ajudar outras pessoas”. Ribas disse que antes do Sescoop/PR existir, a Frísia possuía 300 funcionários, 5 com pós-graduação e 20 com graduação. “Atualmente temos 1.100 colaboradores, dos quais 200 com graduação e 150 pós-graduados em todos os níveis, resultado dos investimentos da própria cooperativa e do importante apoio do nosso S, o Sescoop/PR ao longo desses anos”, frisou.

Iniciativa - O evento promovido pelo Sistema Fiep teve como objetivo sensibilizar a bancada federal do Paraná para que não sejam retirados recursos do Sistema S, conforme proposta que deverá ser analisada pela Comissão Mista do Orçamento da Câmara Federal. O coordenador da bancada do Paraná, deputado Antônio Wandescheer, afirmou ser contrário a mais esta tentativa do governo federal. “No meu entendimento, o problema não é dinheiro, mas sim falta de gestão. Deixando esses recursos no Sistema S eles serão muito mais bem aplicados do que repassá-los para o governo”. Ele se comprometeu conversar com cada um dos cinco integrantes da Comissão Mista do Orçamento, deputados Alfredo Kaefer, Luciano Ducci, Alex Canziani, Ênio Verri e Leandri Dal Ponte, no sentido de sensibiliza-los do que isso representará para milhões de pessoas que buscam sua profissionalização através do Sistema S.

Futuro - Para o vice-presidente da Fiep, Hélio Bampi, que representou o presidente licenciado, Edson Campagnolo, esta iniciativa de reunir todas as entidades do Sistema S em uma ação global para demonstrar a força e a união no Paraná, também serve para prestar contas do que tudo isso representa para a sociedade paranaense e brasileira. “Apelamos para nossa bancada federal para que se posicione a respeito dessas mudanças que estão sendo apresentadas e que podem prejudicar não apenas as entidades, especialmente a vida de milhões de jovens que buscam capacitação, conhecimento para conseguir um emprego e ter um futuro digno”, frisou.

Entidades - O superintendente do Sescoop/PR, Leonardo Boesche, juntamente com todos os demais superintendentes das outras oito entidades – Sesc, Senac, Sesi, Senai, Senar, Sest, Senat e Sebrae  fizeram um relato das principais atividades desenvolvidas para cada um dos S no Paraná e levaram alguns beneficiários para dar seus testemunhos sobre o quando puderam crescer com pessoas e também profissionalmente com a oportunidade recebida através de um curso ou capacitação.

Superação - Além de Walter Ribas, outro depoimento que chamou muito atenção foi do aluno do curso Técnico em Automação Industrial do Senai de Guarapuava, Vinicius Bail que em durante uma partida de futebol perdeu a visão. “A minha deficiência não me impediu de estudar no Senai e através do programa de inovação, criei uma luva-guia que por meio de sensores me auxilia para evitar em obstáculos. Pensei nisso depois de quebrar muitos vasos da minha mãe”. Segundo ele, a luva tem dois sensores de distância. Se o obstáculo estiver do lado direito, apenas o sensor do lado direito vibra, assim como se a barreira estiver do lado esquerdo. Caso o obstáculo esteja à frente e seja mais perigoso os dois sensores vibram. Este projeto está disputando na etapa nacional do Concurso Nacional Inova.

 Sescoop/PR - Boesche lembrou que entre as entidades do Sistema S, o Sescoop é o mais jovem, criado no final da década de 1990. “Nesses 17 anos de funcionamento da entidade pudemos acompanhar o desenvolvimento experimentado pelo cooperativismo, hoje uma das principais forças econômicas do Estado. Partimos lá atrás de 30 mil colaboradores para mais de 90 mil pessoas com carteira assinada. E focamos única e exclusivamente na capacitação das pessoas, onde mais de 90% dos recursos tem este destino e sem qualquer estrutura física. Sempre utilizamos a mesma estrutura de nossas cooperativas para cursos e eventos, como também de todas demais entidades do Sistema S que são nossas parceiras de primeira hora”, frisou.

{vsig}2018/noticias/06/08/sistema_s/{/vsig}

FÓRUNS: Sistema Ocepar realiza eventos para presidentes e profissionais de Comunicação e TI

forum digital 08 06 2018Na terça-feira (12/06), o Sistema Ocepar vai promover três fóruns em Carambeí, na região paranaense dos Campos Gerais: o dos presidentes, dos profissionais de Comunicação e dos profissionais de TI das cooperativas paranaenses. Além disso, na segunda-feira (11/06), será realizada a reunião ordinária da diretoria da Ocepar, também em Carambeí. Os fóruns terão atividades que serão compartilhadas pelos três públicos e também programações específicas. Na sequência, na quarta-feira e quinta-feira (13 e 14/06), todos poderão acompanhar a Digital Agro, evento promovido pela Cooperativa Frísia, que contará com palestras importantes como a que será ministrada por Gill Giardelli, sobre tendências tecnológicas, e a de Carlos Ortiz, sobre estratégias para inovação.

Clique aqui para conferir a programação completa do Fórum dos Presidentes das Cooperativas Paranaenses

Clique aqui para conferir a programação completa do Fórum dos Profissionais de Comunicação das Cooperativas Paranaenses

Clique aqui para conferir a programação completa do Fórum dos Profissionais de TI das Cooperativas Paranaenses

 

TRANSPORTE DE CARGAS: ANTT emite nota sobre suspensão da tabela de fretes

transporte cargas 08 06 2018

 

A Agência Nacional de Transportes Terrestres informa que os efeitos da Resolução nº 5821/2018, divulgada na noite desta quinta-feira (07/06), estão suspensos. Na manhã desta sexta-feira (08/06), a ANTT se reuniu com entidades representativas do setor de cargas para rediscutir a tabela de preços mínimos de frete. O encontro é puramente técnico e não produzirá efeitos imediatos. As questões técnicas da tabela continuarão em discussão na Agência e com o setor, a fim de chegar a uma solução que harmonize os interesses de produtores, transportadores e sociedade. (ANTT)

 As questões técnicas da tabela continuarão em discussão na Agência e com o setor, a fim de chegar a uma solução que harmonize os interesses de produtores, transportadores e sociedade. (ANTT)

 

FORMAÇÃO: Curso sobre manejo pré-abate e abate humanitário de aves e suínos está com inscrições abertas

 

formacao 08 06 2018Estão abertas, até o dia 13 de junho, as inscrições para o curso Manejo Pré-Abate e Abate Humanitário de Animais na Avicultura e Suinocultura, que o Sescoop/PR promove, nos dias 15 e 16 de junho, no campus da PUCPR em Toledo, no Oeste do Paraná. São 30 vagas destinadas a profissionais de cooperativas paranaenses. Os interessados devem efetivar as inscrições por meio do agente de Desenvolvimento da cooperativa. Mais informações com Ana Lucia Soares Gonçalves (ana.lucia@sistemaocepar.coop.br/ 41 3200-1129) ou Alexandre Monteiro (alexandre.monteiro@sistemaocepar.coop.br/ 41 3200-1114). 

 

Conteúdo - No primeiro dia serão realizados dois módulos: o primeiro, das 8h às 12h30, irá promover uma atualização em manejo pré-abate e abate humanitário na suinocultura, além de tratar sobre os impactos na atividade, com o instrutor Cleandro Pazinato Dias; o segundo, das 13h30 às 17h30, irá abordar a questão do manejo pré-abate e abate humanitário com enfoque em aves, visando garantir a qualidade da carne e o rendimento na indústria, com o instrutor José Maurício França. O segundo dia do curso será voltado a discutir a instrução normativa que aprova o Regulamento Técnico de Manejo Pré-Abate e Abate Humanitário de animais que o Ministério da Agricultura colocou em consulta pública. A instrutora Charli Ludtke vai falar sobre o assunto, das 8h30 às 12h30, destacando as principais mudanças que a norma poderá causar nas cadeias de aves e suínos, expectativas dos mercados internacionais e tendência para o futuro.

 

UNIMED PARANÁ: Mais de 700 pessoas são esperadas para o 26º Suespar

 

unimed parana 08 06 2018A cidade de Foz do Iguaçu está mais movimentada esta semana. Entre esta quinta-feira (07/06) e sábado (10/06), ocorre o 26º Simpósio das Unimeds do Estado do Paraná (Suespar), no Hotel Mabu. A programação do evento conta com cerca de 20 atividades entre oficinas, mesas-redondas, minieventos e plenárias, que trazem palestrantes como João Pedro Gebran Neto, Luiz Fux, Daniel Wang, Renato Couto, Jairo Martins, Andressa Gullin, Elisa Gorgatti, Luciana da Veiga Oliveira e muitos outros. 

 

Programação - Jornada do paciente, cuidados paliativos, contratação eletrônica, Atenção Primária à Saúde (APS), DRG (Grupo de Diagnósticos Relacionados), Parto Adequado, Criatividade, Uso de tecnologia no judiciário, Recursos Humanos (RH), economia, gestão, saúde mental e relacionamento com os cooperados são alguns dos assuntos que serão debatidos por um público aproximado de 700 pessoas.

 

Mais - Para saber mais sobre o evento, acesse a programação completa no site www.suespar.com.br e acompanhe as notícias na próxima Newsletter e na Revista Ampla. (Imprensa Unimed Paraná)

 

COAMO: Raio X do solo

 

Foram noites mal dormidas e várias tentativas para tentar solucionar um problema que deixava as lavouras desuniformes, mostrando que algo estava errado, até que a família Bocato, de Boa Esperança (Centro-Oeste do Paraná), partiu para a agricultura de precisão. E foi a tecnologia que ajudou a solucionar o problema. A primeira área recebeu a agricultura de precisão há três anos, foram cerca de 20 alqueires. Como o resultado foi satisfatório a família começou a aplicar em outra parte da propriedade. Dos 130 alqueires, 90% já foi realizado a Agricultura de Precisão.

 

Melhora - O cooperado Cleber Sanches Bocato conta que começou a notar melhora já no primeiro ano após a aplicação dos corretivos. “Foi uma grande mudança. A área era bastante manchada e ficou uniforme, igualando a produtividade e aumentando a produção.” Ele trabalha em parceria com o pai ‘seo’ José e os irmãos Edvaldo e Luiz.

 

Redução de custo - Cleber salienta que com a agricultura de precisão é possível diminuir o custo de uma lavoura aumentando a produção. “Pelo contrário, há aumento na produtividade, pois as manchas mostravam que as lavouras tinham algum tipo de deficiência e diminuía a produção nessas áreas. Agora, está tudo uniforme, produzindo igual.” O cooperado revela que o trabalho de amostragem e correção do solo foram ocorrendo de forma escalonada, na janela entre uma safra e outra.   

 

Importância - Ele destaca a importância de buscar novas tecnologias e investir em sistemas e manejos que possam agregar valor à produção. “Buscamos sempre melhorar a nossa lavoura e a agricultura de precisão está nos ajudando a aumentar ou estabilizar a produtividade em um bom patamar”, assinala Bocato.

 

Tecnificação - Segundo o engenheiro agrônomo Luiz Eduardo de Oliveira, do departamento Técnico (Detec) da Coamo em Boa Esperança, os cooperados da região estão cada vez mais tecnificados e buscando novas tecnologias para que possam melhorar o sistema produtivo e, consequentemente, a produtividade e a renda das famílias. “No caso da família Bocato, a ideia de fazer a agricultura de precisão surgiu após várias tentativas sem sucesso de resolver um problema de baixo rendimento em um lote da propriedade. Variedades e fungicidas foram trocados, sistemas aprimorados, mas nada de saber o que acontecia. Até que a agricultura de precisão mostrou o que precisava ser corrigido. A resposta veio já na primeira safra, aumentando a produtividade na área”, comenta. 

 

Área - Os irmãos Agnaldo, Paulo e Fábio Flores, de Iretama (Centro-Oeste do Paraná), fizeram agricultura de precisão em 30% da área. Isso ocorreu no ano passado e nesta safra, segundo eles, já sentiram a melhoria. “Na safra passada, o clima foi normal, tudo deu certo. Já neste ano, tivemos adversidades climáticas e mesmo assim, a produtividade foi maior. Essa evolução creditamos ao investimento que fizemos na agricultura de precisão”, comenta Aguinaldo.  

 

Deficiência - O lote escolhido era o que mais apresentava deficiência, com as lavouras desuniformes. “Já no primeiro ano as plantas mostraram um bom rendimento, elevando a produtividade. Notamos uma lavoura mais uniforme, sem falhas. Isso era visível durante o desenvolvimento das plantas e se confirmou na colheita”, diz. Ele acrescenta que a ideia é fazer a agricultura de precisão em toda a área. “O caminho para produzir mais é utilizar essas tecnologias. Precisamos usar os insumos de forma eficiente, aproveitando todo o potencial e excesso para que possamos aumentar a produção e, consequentemente, diminuir os custos.”

 

Segurança - O cooperado destaca que o fato da agricultura de precisão ser realizada pela Coamo proporciona segurança durante todo o processo desde a coleta das amostras até a aplicação dos corretivos. “Essa seriedade nos deixa tranquilo e sabemos que o trabalho foi bem feito”, frisa.

 

Resultado - O engenheiro agrônomo Marco Aurélio Guenca, encarregado do Detec da Coamo em Iretama, ressalta que os cooperados acreditavam que o resultado apareceria dois ou três anos após o uso da agricultura de precisão. Porém, o efeito positivo foi imediato. “Foram 162 sacas de média em uma área que no passado colhia 80 sacas. Esperamos que a lavoura possa continuar apresentando todo o seu potencial produtivo”, observa.

 

Rendimento - Ele ressalta que a utilização de tecnologia adequada e de sistemas que aprimoram a produção, são importantes para elevar ou manter uma boa produtividade. “Problemas climáticos podem ocorrer a qualquer ano, seja com chuva ou seca. Quem faz uma boa correção e manejo de solo, utiliza as práticas recomendadas e tecnologias como, por exemplo, a agricultura de precisão, tem um melhor rendimento”, assegura o agrônomo.

 

Trabalho de qualidade - A agricultura sofreu grandes e rápidas transformações nas últimas décadas. Mais competitiva, tem exigido dos agricultores investimentos e adoção de novas tecnologias. A Coamo, por meio da Assistência Técnica, tem desenvolvido importante papel na difusão de novas técnicas que melhoraram o sistema produtivo e uma das ferramentas disponibilizadas aos cooperados é a Agricultura de Precisão. O projeto da Coamo está estruturado para oferecer um serviço de qualidade, aliando-se a outras ferramentas e práticas já adotadas no campo e que visam ajustar a atividade, buscando aumentar a rentabilidade do cooperado. 

 

Pesquisa - A Agricultura de Precisão já beneficiou milhares de cooperados em toda a área de ação da cooperativa no Paraná, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul, desde 2012. O programa é respaldado pela pesquisa e conta com tecnologia de ponta para o trabalho que vai desde a retirada do solo para análise até a aplicação dos corretivos em taxa variável. 

 

Primeiro passo - O primeiro passo é investigar e analisar as variáveis do solo, fazendo um “Raio X” por meio de análises georreferenciadas originando mapas de fertilidade. Depois entra a parte de correção, utilizando aplicações com taxa variável, para conseguir aplicar a dose certa no local certo. A Agricultura de Precisão é uma tecnologia que veio para ficar, mas algumas considerações devem ser observadas. Fazer a Agricultura de Precisão não significa que, de uma hora para outra, a produtividade aumentará. Essa é uma situação que pode acontecer, se o principal fator de interferência for a fertilidade do solo. 

 

Qualidade - A qualidade em todas as partes do processo faz do Programa de Agricultura de Precisão da Coamo um dos melhores do mercado. A cooperativa está preocupada em todas as partes do processo, desde a amostragem de solo até o momento da aplicação. Isso traz segurança ao cooperado, garantindo assim que o investimento possa refletir numa lavoura mais uniforme. 

 

Outras práticas - A Agricultura de Precisão deve ser aliada a outras práticas e sistemas a serem adotados pelos cooperados como, por exemplo, a rotação de culturas. A monocultura ou mesmo o sistema contínuo de sucessão tende a provocar a degradação física, química e biológica do solo e a queda da produtividade das culturas. Também proporciona condições mais favoráveis para o desenvolvimento de doenças, pragas e plantas daninhas. Nesse sentido, é importante aliar as tecnologias e sistemas para melhorar o sistema produtivo como um todo. (Imprensa Coamo)

 

{vsig}2018/noticias/06/08/coamo/{/vsig}

CREDICOAMO: Sonhos concretizados

 

credicoamo 08 06 2018O Programa Moradia Feliz da Credicoamo continua ajudando a realizar os sonhos das famílias cooperadas. São linhas de créditos destinadas para aquisição de imóvel, ampliação, reforma ou construção de residências, e ainda para compra de materiais de construção, móveis e decorações, no meio urbano e rural. Famílias como a de Alberto Donassolo, de Toledo (Oeste do Paraná), estão se beneficiando do programa. A nova residência está pronta, faltando apenas alguns detalhes para a finalização da obra. Por meio do programa, eles também adquiriram todos os móveis da nova moradia. 

 

Financiamento - Donassolo explica que tinha parte dos recursos. Porém, as últimas safras não saíram como o planejado e acabou optando pelo financiamento. “Felizmente temos a Credicoamo como nossa grande parceira e conseguimos o dinheiro por meio do Programa Moradia Feliz. Sem esse recurso teríamos que esperar um pouco mais para concluir a obra”, comenta.

 

Contratação - O cooperado conta que trabalha 100% com a Credicoamo e não teve dificuldade para contratar o financiamento. “Foi até mais fácil do que eu pensei, sem burocracia nenhuma. Depois de uma vida inteira morando em uma mesma casa agora teremos outra com mais espaço e comodidade para toda família. É a realização de um sonho, construída do nosso jeito e que teve minha filha como arquiteta. Saiu tudo como nós planejamos”, diz Donassolo.

 

Linhas - Segundo o gerente da Credicoamo em Toledo, Sergio Batasim, os associados têm buscado melhorar a sua moradia e encontrado na cooperativa linhas de crédito que proporcionam uma vida mais confortável a toda sua família. “A cada financiamento contratado, a cada imóvel construído, vemos como uma conquista para nossos cooperados e nos traz satisfação a divulgação deste programa, para que outros possam também usufruir deste benefício. É gratificante para a Credicoamo quando disponibilizamos linhas de investimento para a realização e concretização dos sonhos das famílias, como o próprio nome já diz: Moradia Feliz, proporcionar a Felicidade para o cooperado e sua família”, acrescenta.

 

Ampliação - Em Boa Ventura de São Roque (Centro Paraná) o casal Emerson e Marcia Batista está finalizando a obra de ampliação da residência. Uma garagem que guardará o veículo e também servirá como espaço de lazer para receber os amigos e familiares. “Era uma obra que sempre íamos deixando para depois até que decidimos fazer e na Credicoamo encontramos o recurso que precisávamos.” 

 

Atividade agrícola - Emerson conta que a Credicoamo tem ajudado a família a desenvolver a atividade agrícola e, agora, também contribui para melhorar a qualidade de vida deles. “Isso faz parte do cooperativismo. Integrar a garagem com a casa era sonho antigo que estamos realizando. Temos uma família grande que sempre está se reunindo e teremos mais comodidade para isso.”

 

Sonho - De acordo com Lucas Faustino de Souza, gerente da Credicoamo em Boa Ventura de São Roque, o programa Moradia Feliz tem ajudado a realizar o sonho de várias famílias, seja na aquisição ou reforma de moradias e mobilhando as residências. “São linhas de crédito que atendem as necessidades dos cooperados e que oferecem diversas vantagens para o homem do campo.”

 

Operações - Lançado em março de 2012, o Programa Moradia Feliz efetuou mais de 855 operações que somam um montante de mais de R$ 52 milhões financiados. (Imprensa Coamo)

 

COPACOL: Plantio de árvores é realizado na Semana do Meio Ambiente

 

Em alusão às celebrações do Dia do Meio Ambiente, comemorado em 5 de junho, a Cooperativa Copacol estendeu a semana com ações que visam conscientizar toda a sociedade sobre a importância da preservação e manutenção ambiental. 

 

Plantio - Uma das atividades realizadas foi o plantio de 1.000 mudas de árvores realizado por alunos da Escola Municipal André Luiz da Silva Prestes, de Cafelândia (PR), em uma área da cooperativa próximo à sua sede.

 

Participação - Participaram alunos dos 3º e 4º anos da Escola, que realizaram o plantio e aprenderam um pouco sobre a importância de preservar o meio ambiente. 

 

Informações - O assessor de meio ambiente da Copacol, Celso Brasil, acompanhou as crianças durante o plantio e aproveitou para repassar algumas informações, das ações que a cooperativa realiza para produzir alimentos de forma sustentável. 

 

Reutilização de água - “Entre as ações realizadas pela cooperativa, destacamos a reutilização de 2 milhões de litros de água por dia, que colaboram para a preservação deste recuso que é essência para a sobrevivência de todos nós”, ressalta Celso, falando da importância de trabalhar a conscientização dos alunos que serão o futuro da sociedade. (Imprensa Copacol)

 

{vsig}2018/noticias/06/08/copacol/{/vsig}

SICREDI: Lançado filme em homenagem ao Dia dos Namorados

 

sicredi 08 06 2018O Sicredi – instituição financeira cooperativa com mais de 3,7 milhões de associados e atuação em 22 estados brasileiros e no Distrito Federal – estreou o segundo filme da sua campanha institucional em 2018. Celebrando o Dia dos Namorados, a peça publicitária conta a história de dois jovens, Lucas e Amanda, que vivem em um condomínio e recebem uma “forcinha” dos vizinhos mais experientes para ficarem juntos. A ideia é mostrar o conceito do cooperativismo presente no dia a dia das pessoas e como elas podem se beneficiar de diversas formas, além de estabelecer uma relação mais próxima e descomplicada entre o Sicredi e seus associados, especialmente os mais jovens.

 

Tema - A campanha institucional como um todo tem como tema o “Fazer juntos”, ressaltando a cooperação entre as pessoas como ponto crucial para a evolução humana, o que inclui a geração de renda e desenvolvimento socioeconômico da comunidade. Já a nova fase, com o tema “Juntos para transformar”, é composta de quatro vídeos principais que se conectam, formando uma única grande história. Em cada filme, os personagens são moradores de uma mesma vizinhança e interagem uns com os outros dentro de situações do cotidiano que condizem com a data de lançamento de cada vídeo. No primeiro, a homenagem foi ao Dia das Mães. No segundo, o Dia dos Namorados. E os próximos terão como foco o Dia dos Pais e o Natal.

 

Alcance nacional - Com alcance nacional, a campanha institucional se estenderá às revistas que circulam nas áreas de atuação do Sicredi e incluirá mídia de massa (spots, anúncios e mídia exterior), PDV (folheteria, móbile, banner e cartaz), ativação por meio de canais digitais e online (Facebook, YouTube e site do Sicredi) e ações trabalhadas para o público interno. Além dos quatro filmes principais, a campanha publicitária de 2018 também será composta de outros vídeos que serão divulgados ao longo do ano, focados, principalmente, no público jovem. 

 

Apresentação - Além de exaltar o cooperativismo de crédito, a campanha institucional do Sicredi tem um viés de apresentar ao público o que é a instituição financeira cooperativa, qual é a sua personalidade (simples, próximo e ativo), o que ela oferece e quais são seus diferenciais no mercado. A ação também visa estimular a educação financeira para todos os públicos, principalmente os jovens, ao criar um elo de aproximação com as novas gerações.

 

Vídeo - Assista ao vídeo do Dia dos Namorados: https://youtu.be/gtMi7FPVHwM   

 

Teaser - Relembre o teaser geral da campanha: https://www.youtube.com/watch?v=FPyMPBuwnDU

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão valoriza a participação dos 3,7 milhões de associados, os quais exercem um papel de dono do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com 1.500 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros. Mais informações estão disponíveis em www.sicredi.com.br. (Imprensa Sicredi)

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

SICREDI ALIANÇA: Cooperativa reinaugura agência em São José das Palmeiras

 

O Sicredi, instituição financeira cooperativa presente em 21 estados brasileiros, reinaugurou a agência de São José das Palmeiras-PR, nesta quinta-feira (07/06). A cooperativa Sicredi Aliança PR/SP possui atuação no oeste do Paraná e no norte de São Paulo, está presente em 15 municípios com 18 agências e mais de 42 mil associados. A agência que anteriormente havia passado por reforma, agora recebeu a nova identidade visual do Sicredi.

 

Aconchego e comodidade - A gerente da agência, Vânia Vergani, destaca que a revitalização tem a finalidade de tornar o local mais aconchegante e oferecer mais comodidade no atendimento. “O investimento é para deixar a nossa agência o mais receptível para os nossos quase dois mil associados. Buscamos atendê-los com a agilidade, a qualidade e a segurança necessária. Agora estamos oficialmente de ‘cara nova’ e todos estão convidados para conferir”, disse.

 

Diferença - Para Adriane Matter Gomes, vice-prefeita de São José das Palmeiras, que, na ocasião, representou o prefeito Gilberto Fernandes Salvador, o Sicredi tem feito a diferença para a comunidade desde a sua instalação. “Vemos hoje que o Sicredi contribui com a transformação da vida das pessoas, sendo um parceiro em todos os momentos. Por outro lado, a cooperativa é muito importante para o desenvolvimento econômico do município. Desejamos cada vez mais sucesso. Temos orgulho de ter uma cooperativa de crédito como o Sicredi presente em nossa cidade”, enfatizou.

 

Jeito simples - O diretor executivo da Sicredi Aliança PR/SP, Fernando Barros Fenner, explica que a nova marca tem o significado do jeito simples, próximo e ativo do Sicredi. “O Sicredi é simples no jeito de ser, próximo das pessoas e ativo nas comunidades onde atua. A agência reinaugurada apresenta essa nova identidade visual, desenvolvida com o objetivo principal de reposicionar o Sicredi com foco na presença nacional, com atuação regional e, consequentemente, na categoria de instituições financeiras cooperativas no Brasil”, expôs.

 

Merecimento - De acordo com o presidente do Conselho de Administração da Sicredi Aliança PR/SP, Adolfo Rudolfo Freitag, oferecer uma agência mais convidativa é merecimento dos associados. “Trabalhamos fortemente no nosso propósito que é agregar renda e melhorar a qualidade de vida das pessoas. Sabemos como a confiança dos nossos associados é importante. São José das Palmeiras está entre as 199 cidades do Brasil onde o Sicredi é a única instituição financeira no município, o que contribui para o desenvolvimento da economia local.  Esta é a terceira agência da cooperativa que passa pelo processo de remodelação. Os associados merecem uma agência bonita, aconchegante e moderna. Obrigado por acreditar e fazer junto conosco”, disse.

 

“Eu invisto sim!” - Na mesma oportunidade da reinauguração da agência, a Sicredi Aliança PR/SP realizou a entrega do primeiro prêmio da Campanha “Eu invisto sim!”. O associado da agência de São José das Palmeiras, Mario Martins Moraes, recebeu R$ 5 mil. O sorteio foi realizado no último dia 26. 

 

Ótima hora - Para Mario, que é associado da agência desde 2007, o prêmio veio em ótima hora. “Quando me contaram que havia uma surpresa, eu nem imaginava do que se tratava e quando vi meu nome como ganhador do prêmio fiquei muito feliz. A melhor surpresa que eu poderia ter. Gosto muito do Sicredi e é muito bom sermos valorizados pela nossa cooperativa. É a minha única instituição financeira e sempre vai ser”, considerou.

 

Sorteio mensal - Como são quatro sorteios mensais de R$ 5 mil, nos próximos dias a cooperativa entregará a premiação aos demais associados que foram premiados no dia 26, referente ao mês de maio. Até setembro serão sorteados mais de R$ 200 mil em prêmios e no final da campanha os participantes concorrerão a um Jeep Compass zero quilômetro. Podem participar associados pessoa física e jurídica de todas as cidades de atuação da cooperativa tanto no estado do Paraná quanto no estado de São Paulo através da aplicação em depósito a prazo.

 

Número da sorte - Ao investir no Sicredi, o associado ganha números da sorte. Cada R$100,00 aplicados em depósito a prazo dão direito a um número da sorte. Se a aplicação tiver carência de 181 a 360 dias valem dois números da sorte, de 361 a 720 dias representam três números da sorte e se a aplicação permanecer a partir de 721 dias ou mais, quatro números da sorte. O participante poderá acessar o site www.sicredi.com.br/promocao/euinvistosim e conferir todos os números gerados pelas aplicações realizadas.

 

Reinauguração em Guaíra-PR - A Sicredi Aliança PR/SP, dando sequência ao processo de remodelação das atuais agências para a nova marca do Sicredi, realizará neste dia 20 de junho, às 19h30, na Rua Capitão Heitor Mendes Gonçalves nº330, a reinauguração da agência de Guaíra-PR. Associados e população são convidados a participar.

 

Sobre o Sicredi - O Sicredi é uma instituição financeira cooperativa comprometida com o crescimento dos seus associados e com o desenvolvimento das regiões onde atua. O modelo de gestão valoriza a participação dos 3,7 milhões de associados, os quais exercem um papel de dono do negócio. Com presença nacional, o Sicredi está em 22 estados* e no Distrito Federal, com 1.500 agências, e oferece mais de 300 produtos e serviços financeiros. Mais informações estão disponíveis em www.sicredi.com.br. (Imprensa Sicredi Aliança PR/SP)

 

*Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

 

{vsig}2018/noticias/06/08/sicredi_alianca/{/vsig}

SAFRA 2018/19: Paraná pode pleitear até R$ 25 bilhões do plano agropecuário

safra 08 06 2018O Plano Agrícola e Pecuário 2018/2019 anunciado na quarta-feira (06/06) no Palácio do Planalto trouxe boas perspectivas para o Paraná. O governo federal liberou R$ 194,37 bilhões para o crédito rural, e aproximadamente 14% deste valor deverá ser pleiteado pelos produtores paranaenses.

Impulso - Para o secretário de Estado da Agricultura e do Abastecimento, George Hiraiwa, que esteve presente no lançamento do Plano em Brasília, essas mudanças vão ajudar a impulsionar o plantio e motivar os produtores. “As taxas de juros em percentuais menores certamente vão provocar uma retomada nos investimentos que vinham em um ritmo mais lento, com a Selic em movimento decrescente e as taxas de crédito rural muito elevadas”, disse.

Venda - Outro destaque é a venda da produção de commodities, como milho e soja, com preços internacionais sustentados na Bolsa de Chicago e o câmbio favorável às exportações. Essas duas variáveis são fatores fortes e de sustentação ao agronegócio brasileiro, e devem impulsionar a atividade.

Motivador - Na avaliação do chefe do Deral, Francisco Carlos Simioni, o Plano Agrícola vem de forma motivadora. Entre os pontos que chamam a atenção, está o fortalecimento das linhas de crédito, em especial ao setor cooperativista, como a abertura de nova linha para capital de giro para as cooperativas ligadas à atividade leiteira, considerando que o Paraná ocupa a segunda colocação no Brasil entre os principais produtores de leite, ficando atrás apenas de Minas Gerais. A nova linha de até R$ 50 milhões por cooperativa/ano vem ao encontro do processo de melhoria e consolidação tecnológica para a atividade. Outro destaque é a inclusão da piscicultura no custeio agropecuário, setor que está em grande expansão no Estado. “Esses são pontos muito importantes, considerando a forte vocação cooperativista do Estado e a expectativa de manutenção do crescimento do setor”, afirmou Simioni.

Demanda no Paraná - Tradicionalmente, o Estado conquista em torno de 15% a 18% do Plano, considerando a aplicação dos bancos que operam com os recursos do sistema nacional de crédito rural, entre eles os bancos oficiais, despontando o Banco do Brasil, a Caixa Econômica Federal e o BRDE. Operam ainda com crédito rural e com recursos controlados as Cooperativas de Crédito, como Central Sicoob, Central Sicredi, Central Cresol, CrediAliança e demais Bancos privados.

Renda - Pronaf, Pronamp e demais produtores foram contemplados dentro do Plano Agrícola com a ampliação da renda bruta para efeitos de enquadramento. O Paraná possui cerca de 370 mil propriedades rurais. Aproximadamente 80% delas estão classificadas na categoria de agricultura familiar, com renda suficiente para se enquadrar no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Essa categoria teve a renda bruta anual corrigida para R$ 415 mil, trazendo mais espaço para que possam ampliar a participação na atividade agropecuária com taxas de juros menores.

Médio produtor - Em relação ao médio produtor, a ampliação do limite de renda bruta na classificação do Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp) saiu de R$ 1,7 milhão para R$ 2 milhões, o que também é positivo pois a categoria é grande demandadora de crédito rural no Estado. Para os demais produtores a renda bruta anual classifica-os como aqueles que obtiverem renda oriunda da atividade acima de R$ 2 milhões ao ano.

Comercialização - Os Preços Mínimos de Garantia não foram anunciados. Esse é um fator que continua sendo aguardado pelos produtores, dada a importância que esse mecanismo tem no processo de comercialização da produção, em especial para produtores de feijão e milho.

Seguro rural - O seguro rural, ferramenta importante para proteção e produção, e a renda dos produtores rurais, conta com um orçamento de R$ 600 milhões para o novo Plano. Os recursos deverão ser utilizados para subvenção das apólices de seguro rural de feijão, milho e soja. O volume anunciado fica aquém das expectativas do Setor Agropecuário, que esperava pelo menos R$ 1 bilhão. (Agência de Notícias do Paraná)

 

SOJA: Congresso Brasileiro será aberto com conferência sobre tendências do mercado

 

soja 08 06 2018As tendências de mercado para o complexo soja serão a temática central da conferência de abertura do VIII Congresso Brasileiro de Soja, que começa no dia 11 de junho, segunda-feira, às 19h, no Centro de Convenções de Goiânia (GO), em uma realização da Embrapa Soja. A conferência será ministrada pelo doutor em Economia Aplicada Alexandre Mendonça de Barros, professor da Fundação Dom Cabral e sócio-consultor da MB Agro Consultoria. O Congresso de Soja irá reunir 2 mil participantes para debater os desafios de produção da cadeia produtiva da soja e as inovações para a cultura da soja. 

 

Estimativas - O USDA estima uma produção mundial de 336 milhões de toneladas de soja, na safra 2017/2018. Aproximadamente um terço desse total (116,996 milhões de toneladas) foram produzidos em 35 milhões de hectares no Brasil, na safra 2017/2018. Do total produzido no Brasil, 59 milhões de toneladas são consumidos internamente e o restante é exportado, de acordo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A soja é exportada in natura(68 milhões de toneladas) como farelo (14 milhões de toneladas) ou óleo (1,3 milhões de tonelada). 

 

Estados - O Mato Grosso produziu 31,887 milhões de toneladas de soja, na safra 2017/2018, em 9,51 milhões de hectares e figura como o maior produtor brasileiro de soja. A segunda posição é ocupada pelo Paraná (19,07 milhões de toneladas) e depois vem o Rio Grande do Sul (16,968 milhões de toneladas) e Goiás (11,582 milhões de toneladas).

 

CBSoja - Para debater os vários aspectos desta importante cultura, a 8ª edição do Congresso contará com palestrantes nacionais e internacionais, colocando em foco os avanços científicos e as novidades tecnológicas que devem transformar a realidade de produção nos próximos anos. A programação inclui palestras e conferências sobre as novas ferramentas digitais que auxiliam na busca de maiores produtividades, agilidade, eficiência na gestão e sustentabilidade dos sistemas produtivos. Ao longo de 4 dias, serão realizadas 5 conferências, 16 painéis temáticos e 50 palestras. (Assessoria de Imprensa da Embrapa Soja)

 

VIII Congresso Brasileiro de Soja – CBSoja 2018

Local: Centro de Convenções de Goiânia – Goiânia (GO)

Data: 11 a 14 de junho de 2018

Informações: www.cbsoja.com.br

 

CAR I: Conselho prorroga prazo de apresentação do recibo de inscrição

 

car 08 06 2018O prazo para a apresentação do recibo de inscrição no Cadastro Ambiental Rural (CAR), exigido na concessão de financiamento de atividades agropecuárias por meio de instituições bancárias, foi prorrogado pelo Banco Central até 1º de janeiro de 2019. A resolução foi publicada na edição desta quinta-feira (07/06) do Diário Oficial da União.

 

CMN - A extensão do prazo foi aprovada na última terça-feira (05/06), em reunião extraordinária do Conselho Monetário Nacional (CMN). Também foi prorrogado, até 31 de dezembro deste ano, o prazo para a apresentação de declaração individual do interessado, em substituição ao CAR, para imóveis rurais localizados no bioma Amazônia. Essa declaração faz referência à situação de áreas de preservação permanente e de reserva legal na propriedade.

 

CAR - O Cadastro Ambiental Rural (CAR) é uma base eletrônica de dados criada a partir do novo Código Florestal (Lei 12.651/2012) e contém informações das propriedades e posses rurais, além dos limites desses imóveis com áreas de vegetação nativa e reservadas para preservação. 

 

Obrigatório - A inscrição no cadastro eletrônico é obrigatória para todos os imóveis rurais do país. A regularização ambiental das propriedades pode garantir acesso a benefícios e compensações para imóveis que têm excedentes de vegetação nativa ou cotas de reserva ambiental. (Agência Brasil)

 

CAR II: Portal do Cadastro Ambiental Rural entra em manutenção

 

car II 08 06 2018De acordo com informações repassadas pelo Governo Federal, o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) alerta seus usuários que o Sistema de Cadastro Ambiental Rural (SiCAR) estará em manutenção do dia 1º a 18 de junho. O trabalho visa a efetivação de melhorias para seu desempenho, disponibilidade de versões atualizadas e novas aplicações.

 

Offline - Durante este período, as inscrições no CAR pelo módulo de inscrição offline podem ser realizadas normalmente e os arquivos “.car” podem ser salvos para envio no SICAR a partir do dia 18 de junho de 2018.

 

Prazo - O Governo Federal também publicou o Decreto nº 9.395/2018 prorrogando o prazo das inscrições no SiCAR para 31 de dezembro de desse ano. Antes, o prazo vencia no dia 31 de maio.

 

SiCAR - O SiCAR é um sistema eletrônico de âmbito nacional destinado à integração e ao gerenciamento de informações ambientais dos imóveis rurais de todo o País junto ao Cadastro Ambiental Rural (CAR). Após a inscrição, o cadastro será acompanhado e analisado pelo IAP. Para adesão ao Programa de Regularização Ambiental (PRA), é necessário estar inscrito no CAR até o prazo final das inscrições em 31 de dezembro de 2018.

 

Atualizações - Por isso, é essencial que os proprietários acompanhem as atualizações na Central do Proprietário/Possuidor, canal de comunicação entre o IAP e seus usuários, além do e-mail válido e atualizado junto à Central do SiCAR.

 

Nuvem de armazenamento - A Central também atua como uma nuvem de armazenamento dos dados dos imóveis rurais onde é possível obter o arquivo da propriedade rural (.car), a segunda via do Recibo do cadastro realizado, enviar as retificações, entre outras. Maiores detalhes sobre o sistema e a central estão disponíveis em: http://www.iap.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=1475

 

Dúvidas e sugestões - Dúvidas e sugestões podem ser encaminhadas ao endereço eletrônico do Governo Federal: sicar@florestal.gov.br e do IAP: car@iap.pr.gov.br. (Assessoria de Imprensa do IAP)

 

MERCADO I: Disputa entre EUA e México pode beneficiar carne suína do Brasil

 

mercado 08 06 2018Os exportadores brasileiros de carne suína pediram nesta semana ao Ministério da Agricultura para acelerar as tratativas com as autoridades do México em torno da abertura do mercado do país norte-americano, afirmou ao Valor o vice-presidente de mercados da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA), Ricardo Santin.

 

Oportunidade política - A intenção é aproveitar a oportunidade política aberta pela disputa comercial entre Estados Unidos e México. Em retaliação à sobretaxa aplicada pelo presidente americano Donald Trump contra o aço e o alumínio, o México anunciou na quarta-feira (06/06) uma sobretaxa de 20% sobre uma lista de produtos americanos, entre os quais a carne suína.

 

Terceiro maior - De acordo com dados do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), o México é o terceiro maior importador mundial de carne suína, perdendo somente para Japão e China. No ano passado, os mexicanos importaram 1milhão de toneladas do produto. Os Estados Unidos são os principais fornecedores de carne suína para os mexicanos.

 

Competividade - “Com a tarifa de 20% [aplicada aos americanos], passamos a ser competitivos”, afirmou Santin. De acordo com ele, o México também criou uma cota livre de tarifa de 350 mil toneladas para ocupar o espaço que era normalmente preenchido pelos Estados Unidos.

 

Documentação - Segundo o vice-presidente da ABPA, o Brasil já tem a documentação necessária para pleitar a abertura do mercado do México. Diante disso, o Ministério da Agricultura já acionou a adida agrícola no México para agendar uma reunião com autoridades do país.

 

Missão sanitária - A abertura efetiva do mercado do México deve demandar uma missão sanitária de técnicos ao Brasil, o que costuma demorar. No entanto, as tratativas podem acontecer mais rapidamente diante da necessidade mexicana de ampliar o número de fornecedores, avaliou Santin. O vice-presidente da ABPA não mencionou um prazo para a abertura.

 

Beneficiários - No momento, os grandes beneficiários da sobretaxa mexicana à carne suína dos EUA são os produtores europeus. Na terça-feira, o ministro da Economia do México, Ildefonso Guarjado, disse que o país “seguramente” buscará a Europa para importar carne suína.

 

União Europeia - No ano passado, a União Europeia liderou as exportações globais de carne suína, com 2,8 milhões de toneladas, de acordo com dados do USDA. Os Estados Unidos ficaram na segunda posição no ranking dos maiores exportadores, com 2,5 milhões de toneladas.

 

Canadá - O Canadá ocupou a terceira posição e o Brasil a quarta, com 1,3 milhão de toneladas e 786 mil toneladas comercializadas, respectivamente. Ao todo, as exportações mundiais de carne suína somaram 8,3 milhões de toneladas no ano passado, de acordo com o USDA.

 

Opção - Se conseguir abrir o mercado mexicano, o Brasil ganhará uma opção alternativa à Rússia, que segue fechada para os produtos brasileiros. Até novembro do ano passado, os russos respondiam por 40% das exportações de carne suína do Brasil. Em dezembro do ano passado, Moscou embargou o produto alegando problemas sanitárias.

 

Aviso - No mês passado, o Ministério da Agricultura avisou aos exportadores que Moscou poderia reabrir o mercado ainda em maio, mas a expectativa foi frustrada. O mercado russo continua fechada e muitos duvidam que haverá uma reabertura antes da Copa do Mundo, que começa semana que vem na Rússia. (Valor Econômico)

 

MERCADO II: China quer impor política de preços para retirar tarifa, diz fonte

mercado II 08 06 2018A aplicação da tarifa antidumping da China contra a carne de frango do Brasil, oficializada no fim da noite desta quinta-feira (07/06) pelo Ministério do Comércio da China (Mofcom), é parte de um esforço de Pequim para impor uma política de preços ao produto importado do país, afirmou ao Valor uma fonte a par do assunto. A sobretaxa chinesa, que começa a valer neste sábado (09/06), varia de 18,8% a 38,4%.

Piso e teto- A intenção de Pequim é estabelecer um piso e um teto para a cotação do produto, favorecendo o pleito dos produtores de frango da China (que se sentem lesados pela entrada do produto brasileiro). Os exportadores brasileiros ainda não conhecem os detalhes da proposta, mas consideram aceitar o pedido de Pequim.

Retirada - “Se as empresas se comprometerem, eles retiram a tarifa”, disse a mesma fonte. Para os exportadores brasileiros, sobretudo grandes empresas como BRF e Seara (JBS), a decisão chinesa é bastante problemática. À tarifa antidumping de Pequim, se somam a outros muitos graves problemas enfrentados pelas agroindústrias de aves.

Margens apertadas- O segmento iniciou 2018 já sofrendo com margens apertadas, fruto da forte alta dos preços do milho e da queda do preço da carne de frango em razão da superoferta. Em março, veio a Operação Trapaça, deflagrada pela Polícia Federal (PF). A investigação provocou o embargo da União Europeia a 20 abatedouros do país — a BRF teve 12 plantas vetadas pelos europeus. Mais recentemente, a avicultura foi o setor do agronegócio mais afetado pela greve dos caminhoneiros. “É um 7 a 1 a cada dez minutos”, ironizou outra fonte do setor.

Expectativa - A expectativa dos exportadores brasileiros é que, ao menos no primeiro momento, o Brasil não perca repentinamente o mercado chinês ainda que a rentabilidade seja seriamente afetada. Atualmente, cerca de 80% do frango importado pela China é produzido no Brasil e ainda não há grandes alternativas de abastecimento para Pequim. Mas isso pode mudar.

EUA - Recentemente, a China retirou a tarifa antidumping que aplicava contra o frango dos EUA, principal concorrente do Brasil no mercado internacional. No entanto, os americanos ainda estão proibidos de vender aos chineses desde 2015 porque Pequim barrou o frango americano em razão de um surto de gripe aviária. Em tese, a China poderia derrubar esse veto sanitário porque o surto de gripe aviária já foi debelado. “Se derrubarem, teria mais concorrência mesmo, mas é cedo para pensar nisso”, argumentou uma fonte.

Relevante - Do ponto de vista brasileiro, o mercado chinês é extremamente relevante. Trata-se do terceiro maior importador do produto nacional, só atrás de Arábia Saudita e Japão. No ano passado, a China gastou cerca de US$ 760 milhões para importar 391 mil toneladas de carne de frango do Brasil, de acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) compilados pelo Ministério da Agricultura do Brasil. Com isso, os chineses responderam por cerca de 10% das exportações.

Venda- Como um todo, os exportadores brasileiros venderam 4,2 milhões de toneladas para a China, obtendo US$ 7,1 bilhões no ano passado, segundo o Ministério da Agricultura.

Características - Além dos expressivos volume e faturamento das exportações, o mercado chinês também é particularmente importante para o setor pelas características dos produtos que compra. A China é uma contumaz importadora de pés de frango, um corte pouco demandado no Brasil. Para as indústrias brasileiras, ter o mercado chinês cativo significava dar um destino para um produto que, antes, acaba virando ração. (Valor Econômico)

 

INFLAÇÃO: IPCA avança para 0,40% em maio e supera expectativas

inflacao 08 06 2018O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu 0,40% em maio, acima da taxa apurada um mês antes, de 0,22%, conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado ficou acima das expectativas do mercado - entre as 25 consultorias e instituições financeiras consultadas pelo Valor Data, a expectativa média era de alta de 0,30%. O intervalo das projeções ia de alta de 0,20% a 0,50%.

Acumulada - De janeiro a maio, a inflação acumulada foi de 1,33%. Trata-se da menor inflação para o período desde o início do Plano Real, em 1994. Em 12 meses, o IPCA subiu 2,86%, excedendo os 2,76% apurados nos 12 meses imediatamente anteriores. O índice completou, desta forma, 11 meses abaixo do piso da meta de inflação, de 3% -- o centro é de 4,5%, com margem de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Greve - Nos últimos dias, analistas incorporaram em suas projeções os impactos da greve dos caminhoneiros especialmente nos preços de alimentos e combustíveis. A greve começou em 21 de maio e se estendeu por 11 dias.

Nova metodologia - Em nota, o IBGE apontou que o IPCA de maio é o primeiro a incorporar em seu cálculo a nova metodologia de apropriação das variações dos itens mão de obra para pequenos reparos e empregado doméstico, além das três novas áreas: Rio Branco (AC), São Luís (MA) e Aracaju (SE).

Base - O IBGE calcula a inflação oficial com base na cesta de consumo das famílias com rendimento de um a 40 salários mínimos, abrangendo dez regiões metropolitanas, além dos municípios de Aracaju, Brasília, Campo Grande, Goiânia, Rio Branco e São Luís. Para cálculo do índice do mês foram comparados os preços coletados entre 28 de abril a 29 de maio de 2018 com os preços vigentes entre 30 de março a 27 de abril de 2018. (Valor Econômico)

 


Versão para impressão


RODAPE